Na França, ao menos 216 mil menores foram abusados sexualmente na Igreja Católica

·2 minuto de leitura
Commission president Jean-Marc Sauve attends the publishing of a report by an independant commission into sexual abuse by church officials (Ciase) on October 5, 2021, in Paris. - The commission's two and a half years of research based on church, court and police archives, as well as interviews with witnesses, uncovered between 2,900 and 3,200 paedophile priests or other members of the church have operated inside the French Catholic Church since 1950. (Photo by THOMAS COEX / various sources / AFP) (Photo by THOMAS COEX/AFP via Getty Images)
Presidente da comissão Ciase Jean-Marc Sauve em evento de entrega do relatório nesta terça. Foto: THOMAS COEX/AFP via Getty Images
  • Número sobe para 330 mil ao considerar laicos que atuaram na instituição

  • Relatório aponta 'cruel indiferença' da Igreja

  • Papa diz sentir 'pesar'

Ao menos 216 mil menores de idade foram abusados sexualmente por padres e religiosos da Igreja Católica desde 1950 apenas na França. As informações são de um relatório elaborado por Jean-Marc Sauvé, presidente da Comissão Independente sobre os Abusos Sexuais na Igreja (Ciase), divulgado nesta terça-feira (5). Se considerarmos laicos que trabalharam em instituições católicas, o número de vítimas sobe para 330 mil.

A Igreja Católica mostrou uma “cruel indiferença” com as menores vítimas de abusos até os anos 2000, segundo afirmou o autor do relatório. Em sua apresentação do documento final da investigação, Sauvé disse que havia um fenômeno "sistêmico" na instituição e sugeriu o reconhecimento da "responsabilidade da Igreja".

A investigação dos abusos, que durou dois anos e meio, revelou que a Igreja abrigou entre 2.900 e 3.200 pedófilos desde 1950. No entanto, a comissão diz que o número é uma “estimativa mínima” e que foi baseado na análise de arquivos da própria instituição, da Justiça, da polícia judiciária e da imprensa, além da coleta de depoimentos.

Leia também:

Além do estudo divulgado hoje, uma pesquisa com 30 mil pessoas na França buscou quantificar o abuso sexual dentro da Igreja dentro do contexto geral de abusos ocorridos no país.

No entanto, Jean-Marc Sauvé pontua que os números publicados podem estar abaixo da realidade e ser apenas a ponta do iceberg, já que as vítimas ouvidas se manifestaram por conta própria, depois de uma convocação de testemunhas. Dessa forma, não se sabe quantas pessoas optaram por não participar da investigação.

O presidente da Conferência Episcopal da França, monsenhor Éric de Moulins-Beaufort, pediu desculpas aos menores vítimas de agressões sexuais. Ele diz ter "vergonha" e "determinação a atuar" com as vítimas e declarou que "meu desejo no dia de hoje é pedir perdão".

Já o Vaticano divulgou nota afirmando que o Papa Francisco soube, com pesar, dos resultados da investigação.

"O primeiro pensamento vai para as vítimas, com grande pesar, pelas suas feridas", afirma o texto.

O documento relata que o Papa é grato a elas pela coragem de denunciar os crimes que sofreram e que a Igreja da França deve trilhar um caminho de redenção após a revelação da “terrível realidade”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos