Na liga russa, brasileiros dominam e são maioria entre os estrangeiros

Quem chega mais perto do Brasil neste número é a Croácia, com nove representantes (Getty Images)


Na Rússia, entra ano e sai ano e uma coisa não muda. Os brasileiros seguem sendo maioria entre os estrangeiros no campeonato local.

Na edição 2018-2019, que começou na última sexta-feira são 13 os atletas do país, sendo que quatro deles são naturalizados russos (Guilherme, Mário Fernandes, Joãozinho e Ari) e não contam para a cota de estrangeiros de cada equipe.

Leia também:



Quem chega mais perto do Brasil neste número é a Croácia, com nove representantes.

A última vez que os brasileiros não foram maioria entre os estrangeiros na liga russa foi no ano de 2011, superados pelos vizinhos bielorrussos - 21 a 19.

"Temos o caso do Mário (Fernandes) que deu muito certo jogando na Rússia, assim como Hulk, Rafael Carioca, Vágner Love. Então os clubes russos sempre acabam se interessando por jogadores brasileiros, pois eles dão resultado", afirmou o agente de jogadores Jorge Machado, especialista em negócios com o país eslavo.

"Também é verdade que o número tem diminuído e acho que existem três fatores que explicam isso. Os clubes russos começaram a conter um pouco mais o investimento para pagar os estádios que construíram há pouco tempo, a queda da economia russa após as sanções por causa da anexação da Crimeia (em 2014) e também o futebol brasileiro tem se valorizado muito e os valores vão se tornando impraticáveis", explicou Machado.

Para a atual temporada, três novos brasileiros desembarcaram no país-sede da última Copa do Mundo. O único, porém, que atuava no futebol nacional é Murilo. O atleta de 22 anos trocou o Cruzeiro pelo Lokomotiv.

Os outros recém chegados são Kaio Pantaleão, que defendia o Santa Clara (POR) e Douglas Santos, que se destacou pelo Atlético-MG e desde 2016 estava no Hamburgo.

"Eu sou muito amigo do Hulk e conversei bastante com ele quando surgiu a possibilidade de vir jogar aqui no Zenit. Ele deu muito boas recomendações do clube e da cidade. Acredito que me adaptarei rapidamente", afirmou Douglas em entrevista ao site do clube.

Deixaram o futebol russo o zagueiro Rodrigo Becão, que trocou o CSKA pela Udinese, e o meio-campista Hernani. Saiu do Zenit direto para o Parma.

Desde o fim da União Soviética em 1992, em cinco oportunidades o campeonato russo terminou com um brasileiro na artilharia. Isso aconteceu em 2008 (Vágner Love), 2009 e 2010 (Welliton), 2013 (Wanderson) e 2015 (Hulk).

Hoje são apenas três atacantes brasileiros que jogam o campeonato, Wanderson e Ari (Krasnodar) e Luiz Adriano (Spartak).

Na última temporada quem mais gols anotou foi Ari, oito vezes.

Dos 16 times que integram a primeira divisão, são apenas seis que contam com atletas nascidos no Brasil – Akhmat, CSKA, Dínamo, Krasnodar, Lokomotiv, Spartak e Zenit.

Confira quem são os brasileiros que atuam no futebol russo

Os atletas marcados com asterisco são naturalizados russos

Akhmat Grozny

Ismael Silva (meia), 24 anos – Chegou ao Akhmat na temporada 2017/18 após cinco anos na Suécia. No Brasil, jogou somente no Cratéus.

Ravanelli (meia-atacante), 21 anos – Também chegou ao Akhmat na atual temporada na temporada 2017/18 após se destacar defendendo a Ponte Preta.

CSKA Moscou

Mário Fernandes (lateral-direito), 28 anos* – Revelado pelo São Caetano e com passagem no profissional apenas pelo Grêmio está na Rússia desde 2012, sempre no CSKA, e tem contrato até 2022. É um dos principais ídolos da equipe. Disputou a Copa do Mundo de 2018.

Dínamo

Joãozinho (meia-atacante), 30 anos* – Antes de chegar ao clube da caputal na última temporada, defendeu o Krasnodar desde 2011 e em 2016 recebeu passaporte russo, mas ainda não foi chamado para a seleção. No Brasil, seu último clube foi a Portuguesa, em 2007. Antes de chegar à Rússia, atuou na Bulgária.

Lokomotiv

Guilherme Marinato (goleiro), 33 anos* – Está na Rússia desde 2007, sempre defendendo o Lokomotiv Moscou. No Brasil, seu único clube profissional foi o Atlético-PR, entre 2005 e 2007. Não esteve na Copa do Mundo, mas atualmente é o titular da seleção russa.

Murilo (zagueiro), 22 anos – Cria do Cruzeiro, já tem passagens pelas seleções de base. Chegou ao clube para esta temporada e já venceu a Supercopa da Rússia.

Krasnodar

Kaio Pantaleão (volante), 23 anos – Revelado pela Ferroviária, estava no Santa Clara (POR) e chegou nesta temporada à Rússia.

Wanderson (atacante), 24 anos- Nascido na Bélgica é filho de brasileiros, mas nunca atuou no futebol do país, tendo começado na base do Ajax. Tem passaporte belga e brasileiro e já defendeu a seleção europeia nas categorias de base. Está na Rússia desde o ano passado.

Ari (atacante), 33 anos* – Está na Rússia desde 2013, já tendo passado também pelo Spartak e Lokomotiv. Seu único clube no Brasil foi o Fortaleza, entre 2005 e 2006. Obteve passaporte russo no ano passado e fez um jogo pela seleção.

Spartak

Ayrton (lateral-esquerdo), 22 anos - Chegou neste ano ao Spartak após se destacar jogando no Fluminense. É titular absoluto da equipe. Tem passagens por seleções de base.

Fernando (volante), 27 anos – Chegou ao Spartak em 2016 após deixar a Sampdoria. Em 2013, fez parte da seleção brasileira campeã da Copa das Confederações. Atuou no Grêmio entre 2009 e 2013.

Luiz Adriano (atacante), 31 anos – Após passagem apagada pelo Milan, chegou ao Spartak em 2016. No Brasil, só defendeu o Internacional entre 2006 e 2007.

Zenit

Douglas Santos (lateral-esquerdo), 25 anos – Campeão olímpico com a seleção brasileira no Rio, em 2016, se destacou no Brasil jogando pelo Atlético-MG. Chegou nesta temporada ao Zenit após defender o Hamburgo (ALE) por três anos.

Siga o Yahoo Esportes: Twitter | Instagram | Facebook | Spotify | iTunes |