Na mira de Aras, Lava- Jato busca solução para garantir investigações

Aguirre Talento e Bela Megale
O procurador-geral da República, Augusto Aras 27/11/2019

BRASÍLIA - Alvo de ataques de todos os lados e diante até mesmo da ameaça de extinção, a Lava-Jato passou a buscar alternativas que garantam a continuidade das investigações mesmo com a mudança de formato. É consenso entre os investigadores que as atuais forças-tarefas existentes em Curitiba, Rio, São Paulo e Brasília (neste caso, com o nome de Greenfield) terão sua estrutura reduzida e alterada caso dependam apenas da decisão do procurador-geral da República Augusto Aras.

Na última semana, o chefe do Ministério Público Federal (MPF) partiu para uma guerra aberta ao declarar, em uma transmissão ao vivo com advogados, que a força-tarefa de Curitiba tinha “caixas de segredos” e processos ocultos, além de outras críticas. As declarações se somaram a uma série de desgastes, como um pedido protocolado pela equipe de Aras no Supremo Tribunal Federal (STF) para obter acesso a todas as bases de dados das forças-tarefas.

Ao vislumbrarem um risco de que a força-tarefa no Paraná sofra um forte abalo em setembro, quando Aras terá que decidir sobre a prorrogação de sua estrutura, os subprocuradores-gerais da República da 5ª Câmara do MPF — órgão de coordenação e revisão de casos de combate à corrupção — decidiram intervir e mandaram um ofício para Aras pedindo que sejam consultados sobre as próximas prorrogações e recomendando que a estrutura das forças-tarefas seja mantida até que se estabeleça uma transição.

A opção mais viável para manter os trabalhos, na avaliação de fontes das diferentes forças-tarefas e da PGR ouvidas pelo GLOBO, é iniciar um processo de transição para um órgão central que está sendo discutido pelo Conselho Superior do Ministério Público Federal, a Unidade Nacional de Combate à Corrupção (Unac). Nas últimas semanas, entretanto, Aras, que inicialmente apoiou a iniciativa, passou a discordar da criação do órgão, diante da possibilidade de não ter controle na escolha de um nome para dirigi-lo.

(Confira a íntegra da reportagem exclusiva para assinantes)

Nosso objetivo é criar um local seguro e atraente para os usuários se conectarem a interesses e paixões. Para melhorar a experiência de nossa comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários dos artigos.