Na mira do United, joia de R$ 600 milhões some da Inglaterra na Euro

·3 minuto de leitura
Jadon Sancho no banco da Inglaterra na Euro. Foto: Vincent Mignott/DeFodi Images via Getty Images
Jadon Sancho no banco da Inglaterra na Euro. Foto: Vincent Mignott/DeFodi Images via Getty Images

Londres (ING)

Destaque do Borussia Dortmund e considerado uma das grandes promessas do futebol mundial, Jadon Sancho era presença mais do que certa na Inglaterra para a disputa da Euro 2020. No entanto, apesar de convocado por Gareth Southgate, a joia avaliada em cerca de 90 milhões de libras (R$ 600 milhões), e que está na mira do Manchester United, teve apenas dez minutos em campo durante toda a fase de grupos da competição continental.

A primeira grande surpresa aconteceu logo na estreia da seleção contra a Croácia, em Wembley. Cotado para até mesmo começar jogando, Sancho não foi nem relacionado para o banco de reservas. A princípio, um desconforto, ou até mesmo uma lesão, poderia ter explicado a decisão do treinador - mas não passou de especulação.

Leia também:

"Não gosto do fato de ter que deixar jogadores de fora de um campeonato como esse, não é justo com eles", disse Southgate sobre o número de atletas no banco. "Optamos por dar continuidade ao time que estava jogando nos nossos amistosos em março", completou, sem entrar em detalhes sobre o jovem do Dortmund.

Na segunda rodada, um clássico contra a Escócia. Sancho no banco, e Harry Kane, Raheem Sterling e Phil Foden mais uma vez como titulares. Mesmo com a falta de força ofensiva durante o jogo, o treinador optou apenas pelas entradas de Marcus Rashford, Jack Grealish e sequer fez uma terceira alteração - a partida terminou empatada em 0 a 0.

Antes do último duelo da fase de grupos, Southgate foi questionado sobre o motivo de não utilizar a joia do país. "Nós temos tantos jogadores bons de ataque... Quando falamos sobre jogadores que podem jogar abertos ou que atuam mais por dentro, quebrando linhas, temos Sterling, Foden, Grealish, Rashford, Bukayo Saka e Jadon. Todos são muito bons. Se você não estivesse me perguntando sobre Jadon, com certeza estaria me perguntando sobre um dos outros. É assim que é", explicou.

O discurso raso, fugindo de uma resposta mais contundente, foi comprovado mais uma vez dentro de campo. Contra a República Tcheca, o treinador alterou duas peças no ataque titular, tirando Phil Foden e Mason Mount, mas colocando Grealish e Saka, jovem de apenas 18 anos do Arsenal. Nas mudanças durante o jogo, optou primeiro por Rashford e Jude Bellingham, de 17 anos, companheiro de clube, mas coadjuvante do próprio Sancho no Borussia Dortmund.

Sancho, então, entrou apenas aos 38min do segundo tempo, sendo ovacionado pelos torcedores após cumprimentar Saka e pisar no gramado pela primeira vez no torneio. Porém, com apenas dez minutos em campo, pouco pôde fazer. Resta agora torcer para Southgate mudar sua cabeça nas oitavas de final - quando é provável que a seleção tenha pela frente Portugal, Alemanha ou França, uma pedreira, onde o talento de Jadon Sancho pode ser ainda mais necessário para a decidir a continuidade da Inglaterra na Euro 2020.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos