Na onda da Lava Jato, policiais federais querem disputar eleições de 2018

Alessandro Buzas/Futura Press

Na onda da Lava Jato, cerca de 30 agentes e delegados da PF pretendem se candidatar nas eleições de 2018. De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, a Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais), que representa todas as carreiras da PF, já contabilizou 24 pré-candidatos ligados à instituição em 18 Estados. O jornal encontrou outros que não estão na lista da federação.

Um deles é o agente Lucas Valença, que escoltou o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha no dia de sua prisão em 19 de outubro de 2016. Com coque amarrado no topo da cabeça e barba, o agente que quer ser deputado despertou a curiosidade e ganhou apelidos de Lenhador da Federal e Hipster da Federal.

Berço da Lava Jato, o Paraná é o local que vai ter o maior número de concorrentes – até agora cinco delegados e agentes já manifestaram a intenção de concorrer.

Sindicalistas tentam convencer Newton Ishii, o “Japonês da Federal” a competir por uma vaga na Câmara, mas ele resiste à ideia.

Pesquisa do Ibope apontou que entre 20 entidades, a PF foi apontada como a terceira mais confiável, atrás apenas da igreja e dos bombeiros.