Na presença de partidos políticos, TSE abre código-fonte das urnas eletrônicas para eleições de 2022

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — Em uma cerimônia que contou com a presença de 16 lideranças partidárias, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) abriu nesta segunda-feira — a exatamente um ano das eleições de 2022 — o código-fonte das urnas eletrônicas. O código-fonte é um conjunto de linhas de programação de um software, com as instruções para o devido funcionamento do sistema, e sua abertura permite a fiscalização dos equipamentos pela sociedade civil.

A abertura dos códigos ocorreria apenas em abril de 2022, mas foi antecipada em seis meses como uma das medidas para dar maior transparência ao processo eleitoral adotadas pelo presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso.

— Abrir o código-fonte é colocar à disposição para fiscalizarem e participarem do desenvolvimento do programa. O ideal é que o Parlamento indicasse técnicos para acompanhar cada passo do processo —, disse o ministro.

O funcionamento e a segurança das urnas eletrônicas virou alvo de constantes ataques por parte do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus apoiadores, que defendem o chamado "voto impresso". Bolsonaro chegou a dizer, durante manifestações antidemocráticas do dia 7 de setembro, que "não podemos admitir um sistema eleitoral que não oferece qualquer segurança por ocasião das eleições”.

— Nós temos uma obsessiva preocupação em tornar o sistema tão transparente quanto possível — , afirmou o presidente do TSE. O evento também contou com a participação dos ministros Edson Fachin e Alexandre de Moraes, que presidirão a Corte eleitoral em 2022.

Em sua apresentação, o secretário de Tecnologia de Informação do TSE, Júlio Valente, destacou que, ao todo, há 26 oportunidades para fiscalização o processo eleitoral, antes e depois das eleições.

— Como o sistema flui há muito tempo, e felizmente flui bem, muitas pessoas nunca se deram ao trabalho de parar para saber exatamente como é cada etapa, como é transparente e como nós temos preocupações com a auditoria das eleições. Por esta razão, estamos fazendo este movimento pela total transparência —, explicou Barroso.

Estiveram no evento no TSE dirigentes e representantes de diversos partidos, como PP, PRTB, PSD, PSDB, PSL, Solidariedade, Cidadania, PT, PV, Rede, Avante, MDB, Novo, PCdoB, Psol e Republicanos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos