Na Rocinha, traficantes ameaçam quem jogar lixo nas ruas

Imagem de uma pistola apontada para um dos cartazes circula entre os moradores da comunidade. (Foto: Reprodução)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Desde enxurradas causarem deslizamentos na favela, preocupação com o lixo aumentou

  • Foto de pistola pontada para cartaz circula nas redes sociais dos moradores

Os traficantes da favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio de Janeiro, espalharam cartazes pela comunidade ameaçando os moradores que jogarem lixo nos becos. A medida foi tomada após chuvas causarem deslizamentos de terra, enxurradas e até uma morte na região.

“Por favor, não jogue lixo no beco! Caso contrário, varrerá até a Rua 1. Estamos de olho”, diz o cartaz, citando uma das principais vias da Rocinha.

Moradores contam que um homem já foi agredido por jogar sacos de lixo em um dos becos da favela. Ao Jornal Extra, a 11ª DP (Rocinha) disse que não recebeu nenhuma denúncia de agressões ou ameaças relacionadas a essa questão.

Leia também

O lixo jogado no chão entope bueiros e aumenta o risco de inundações quando chove. Um morador conta ao jornal que o problema é antigo na região:

“A sujeira nas ruas é um problema histórico na Rocinha e, depois das tragédias que aconteceram neste ano com as chuvas, os moradores estão se cobrando mais por mudanças na postura quanto ao lixo. Mas conviver com esse clima de ameaça nunca é bom.”

No primeiro semestre deste ano, fortes chuvas atingiram o Rio de Janeiro e destruíram diversas casas na Rocinha. Adriana Maria dos Santos, de 44 anos, morreu quando sua casa desabou durante uma tempestade.