Na rota do padroeiro: a memória de São Sebastião festejada pela cidade

Em cada canto da cidade, São Sebastião está presente. Museus, edificações históricas ou mesmo praças e botequins guardam a memória do padroeiro do Rio, celebrado por cariocas e turistas, fiéis ou não.

A primeira igreja dedicada ao padroeiro surgiu com a própria fundação do Rio de Janeiro. Começou a ser construída em 1567, ficou pronta seis anos depois, e lá permaneceu até 1922, quando foi demolida no desmonte total do Morro do Castelo, berço da cidade, em meio a intensas reformas urbanas no centenário da Independência. Foi então transferida para o Santuário Basílica de São Sebastião, a Igreja dos Capuchinhos, na Tijuca, junto com preciosidades que estão expostas aos visitantes, como os restos mortais de Estácio de Sá, o marco zero da fundação da cidade, e uma imagem de São Sebastião de 1563.

Outras peças que contam a trilha do padroeiro e também do Rio de Janeiro estão no Museu Histórico da Cidade, na Gávea. Entre elas, uma imagem do Arcanjo Miguel que ornava a torre da antiga igreja e servia de ponto de referência aos navegantes que chegavam à Baía de Guanabara, além do sacrário e dois tocheiros. Também estão expostas duas esculturas em madeira do século XIX e uma pintura a óleo de Oswaldo Teixeira, de 1928.

— É um acervo que mostra como a religiosidade e a arte foram importantes em diferentes períodos. Queremos que o visitante se identifique e reconheça sua própria história— afirma a museóloga Heloísa Helena Queiroz, gerente de museus da Secretaria Municipal de Cultura.

São Sebastião é pop

Entre outras atrações que remetem ao santo, a pirâmide modernista da Catedral Metropolitana do Rio é uma das mais conhecidas. Em meio aos arranha-céus do Centro da cidade, o cone de 75 metros de altura, desenhado pelo arquiteto Edgar de Oliveira da Fonseca, salta aos olhos de quem o vê por fora, mas impressiona mesmo por dentro, com seus longos vitrais coloridos que iluminam as paredes, do chão à cúpula.

A visita à construção de 1979 é aberta ao público e pode se estender ao Museu Arquidiocesano de Arte Sacra, que fica no subsolo e guarda mais de cinco mil peças. No acervo em exposição, estão raridades como imagens do padroeiro datadas do século XVIII e adornos do altar da antiga Igreja de São Sebastião do Morro do Castelo.

Fora dos santuários católicos, São Sebastião também tem presença marcante na cidade. A Praça Luís de Camões, na Glória, abriga um monumento de 13 metros de altura e pedestal em granito, feito pelo artista Dante Crossi. A escultura, instalada em 1965, chegou um pouco atrasada: ainda não estava pronta para a inauguração, em 20 de janeiro daquele ano, e precisou ser substituída às pressas para a solenidade por um protótipo de gesso, que hoje dá as boas vindas aos visitantes do Museu Histórico da Cidade.

Como padroeiro carioca, São Sebastião também abençoa os botequins. Na Casa Porto, cravada no boêmio Largo da Prainha, uma estatueta vinda diretamente do Mercadão de Madureira ocupa lugar de destaque.

— Nosso padroeiro é uma referência. Está num altar, nos defendendo ao lado de São Jorge. Como estamos na Pequena África, o sincretismo está presente também — diz Raphael Vidal, dono da casa, lembrando o orixá Oxossi.

Já em Ipanema, São Sebastião ganha ares de Pop Art pelas mãos do artista plástico Anderson Thives, referência internacional na técnica de colagem. Montado com milhares de pedacinhos de papel coloridos, o quadro da série “Santo forte” fica em exposição na Galeria Provisória, que tem entrada gratuita.

Onde encontrar o padroeiro

Casa Porto Largo São Francisco da Prainha 4, Saúde. Ter e qua, das 12h às 22h. Qui a sáb, das 12h às 23h. Dom, das 12h às 21h.

Catedral Metropolitana do Rio de janeiro Av. Chile 245, Centro . Aberta diariamente, das 7h às 18h. Grátis.

Galeria Provisória Rua Visconde de Pirajá 284, Ipanema. Seg a sáb, das 10h às 20h. Dom, das 13h às 19h. Grátis.

Museu Arquidiocesano de Arte Sacra Subsolo da Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro. Ter a sex, das 9h às 16h. Sáb, das 9h às 12h. Dom, das 10h às 13h. R$ 8.

Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro Estrada Santa Marinha s/n, Gávea (Parque da Cidade). Qui a dom, das 9h às 16h. Grátis.

Monumento a São Sebastião Praça Luiz de Camões, Glória. Aberto diariamente. Grátis.

Santuário Basílica de São Sebastião (Igreja dos Capuchinhos) Rua Haddock Lobo 266, Tijuca. Ter a sex, das 10h às 12h e das 14h às 19h. Sáb, às 16h. Grátis.