Na véspera da eleição, Lula e Bolsonaro apostam nos dois estados que devem definir a disputa nas urnas

Na véspera da eleição pela presidência, os candidatos Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) realizarão atos em grandes capitais do Sudeste, nos dois estados onde analistas, e as próprias campanhas, entendem que deve se definir a acirrada disputa. Enquanto Lula fará uma caminhada em São Paulo, Bolsonaro terá uma carreata em Belo Horizonte.

Na reta final da eleição: petistas e bolsonaristas encaram a saga do 'vira-voto'

Manifesto: OAB-SP e entidades da sociedade civil elaboram texto por reconhecimento do resultado das urnas

Lula vai encerrar a sua campanha neste sábado com uma caminhada na Avenida Paulista. O candidato a vice, Geraldo Alckmin, e o candidato do PT ao governo de São Paulo, Fernando Haddad, também vão participar.

O ato será um cortejo, aberto por motoboys. Atrás, o cortejo terá alas que simbolizam os desafios que a campanha espera que o ex-presidente enfrente em um eventual governo. Os temas das alas serão trabalho, saúde, meio ambiente, inflação e carestia, habitação e moradia e direitos humanos.

Após a caminhada, Lula deve assistir à final da Libertadores entre Flamengo e Atlético-PR em sua casa, na Zona Oeste de São Paulo. No domingo pela manhã, o ex-presidente irá para São Bernardo do Campo, na região metropolitana, para votar.

Em seguida, o petista deve passar o resto do dia em casa, onde também acompanhará a apuração ao lado de aliados próximos. No primeiro turno, Lula viu a contagem de votos em um hotel.

Agora, a ideia é que ele só vá para o hotel para fazer o pronunciamento depois que a apuração estiver encerrada.

Bolsonaro mudou seus planos e decidiu voltar a Minas Gerais neste sábado, na véspera do segundo turno. A previsão inicial era que ele ficasse direto no Rio de Janeiro, onde participa do debate da Globo na noite desta sexta-feira e vota no domingo, mas decidiu participar de uma carreata em Belo Horizonte, capital mineira.

A virada em Minas Gerais, onde Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu no primeiro turno por 48,3% a 43,6%, é uma das prioridades da campanha do presidente, porque o estado é o segundo maior colégio eleitoral do país. Entretanto, as últimas pesquisas apontam que o petista continua na frente.

A carreata de sábado deve contar com a participação do governador de Minas, Romeu Zema (Novo), que declarou apoio a Bolsonaro no segundo turno e atua como coordenador da campanha no estado, e com o vereador Nikolas Ferreira (PL-MG), que foi o deputado federal mais votado do país.

De tarde, a previsão é que o presidente retorne para o Rio de Janeiro. Bolsonaro afirmou que, antes de votar, deseja receber o time do Flamengo no aeroporto, caso a equipe conquiste a Copa Libertadores, que será disputada na tarde de sábado. O clube, contudo, se comprometeu a não fazer nenhuma comemoração no domingo em caso de vitória, para não atrapalhar o dia de votação.

Na véspera do primeiro turno, a estratégia foi diferente: o presidente fez dois passeios de moto, em São Paulo e Joinville (SC), antes de viajar ao Rio. Ao contrário da escolha por Minas agora, Bolsonaro já liderava as pesquisas nos dois estados, o que acabou se confirmando na eleição.