Rafael Nadal abandona a Laver Cup por razões pessoais

Laver Cup


Rafael Nadal fez o esforço para estar em Londres para jogar a Laver Cup ao lado de Roger Federer. Após a partida, ele desistiu de seguir no torneio por razões pessoais. O espanhol ainda vai decidir se fica em Londres ou volta para casa.

- Sou uma pessoa muito sensível e não tenho nenhuma preocupação em mostrar meus sentimentos e chorar. Acho que às vezes é bom porque você libera toda a emoção que carrega dentro de si, precisa deixá-la ir. Certamente vamos continuar a partilhar muitas coisas e estou convencido de que voltaremos a jogar tênis em quadra - explicou Nadal.

A postura dá a entender que o tenista segue aberto para disputar jogos de exibição. Uma das possibilidades comentadas é sobre a presença em uma partida no renovado Santiago Bernabéu, estádio do Real Madrid, seu clube do coração.

Ainda sobre a decisão de não jogar mais a Laver Cup, o espanhol explicou que precisa resolver um problema pessoal.

- Foram semanas difíceis. Estou dormindo algumas horas há muitos dias e com um estresse difícil de administrar, pois é diferente do que estou acostumado na minha carreira profissional. Em casa a situação é mais complicada do que o normal , mas felizmente tudo está melhor agora e pude vir para cá - disse.

Nadal também aproveitou a oportunidade para exaltar Roger Federer, um de seus principais rivais em quadra e que fez sua última partida como profissional atuando ao lado do 'Touro Miúra'.

- Foi muito importante para mim e para o Roger. Temos um ótimo relacionamento. Sei que foi um momento difícil para ele com a lesão e ele se deu muito bem com todo o esforço físico e mental para voltar. É fantástico que ele tenha conseguido se aposentar em quadra. Eu não poderia faltar a esse compromisso, independentemente da minha situação pessoal - valorizou o espanhol.

Ao ser perguntado sobre como imaginava a sua despedida do esporte, Nadal, de 36 anos, desconversou, alegando não pensar na possibilidade no momento.

- Ainda não estou nesse momento. Não vou negar, vi muito de perto em vários momentos ao longo desta temporada. Sinceramente, pensei que Roland Garros este ano seria o último torneio da minha carreira profissional. Depois disso, tudo deu errado. Foi uma série de grandes infortúnios a nível físico, que foram adicionados à minha situação pessoal. Em qualquer caso, não quero pensar em me aposentar, ainda não estou nesse momento. Minha prioridade é resolver meu problema pessoal e assim vou organizar minha vida da maneira certa. Preciso ter tranquilidade em ambas as áreas, pessoal e profissionalmente - finalizou.