Namorada brasileira de Sala relata momentos de angústia após acidente com atacante

 

Morto em acidente de avião, o jogador argentino Emiliano Sala tinha um relacionamento com uma jogadora de vôlei brasileira. Luiza Ungerer contou ao jornal O Globo sobre os momentos angustiantes que passou enquanto o corpo do atleta não era localizado.

“Sempre tive esperança, porque nessas horas tem que ter. Até o momento em que anunciaram que encontraram um corpo eu tive. Mas ao mesmo tempo, pensava: “tomara que seja ele”. Foi muita angústia, de não saber onde está o avião, e de não saber o que vai acontecer, das buscas que não deveriam ter parado. Todos os dias foram angustiantes”, revelou ela ao Globo.

Sala morreu quando viajava de Nantes, na França para Cardiff, no País de Gales, onde ele ia defender o time local. O avião em que ele viajava caiu no Canal da Mancha no dia 21 de janeiro, mas o corpo do atleta só foi localizado no último dia 3, quase duas semanas depois.

Luiza disse que Sala estava muito feliz em se transferir para o Cardiff por ter a oportunidade de disputar a Premier League, um dos principais campeonatos do mundo.

“Ele disse que tinha ido conhecer o Cardiff e que tinha fechado, ia pra lá. Fiquei muito feliz porque ele estava muito contente. Era o sonho dele ir, jogar a Premier League, o melhor campeonato do mundo.”

Ainda de acordo com o Globo, Luiza e Sala começaram a namorar em 2017, quando ambos jogavam futebol e vôlei na cidade de Nantes. Luiza conta que Sala foi rápido e quis logo engatar um relacionamento. Ela também falou sobre a idolatria que os franceses tinham pelo argentino.

“Na rua, todo mundo o reconhecia e vinha falar, tirar foto. Eu dizia “quem manda fazer tanto gol”. Para ele, isso era muito surpresa, porque ele é uma pessoa muito simples e não entendia. Ele tem um coração puro, não tem maldade, até ingênuo às vezes”, contou Luiza.

Leia também:
– Zagueiro diz ter ficado mais forte após virar vegano
– Cruzeiro negocia empréstimo de R$ 300mi para pagar dívidas
– Sarri não comenta futuro e explica porque deixou Guardiola no vácuo