Nancy Pelosi foi manifestar apoio à Arménia

Nancy Pelosi está na Arménia. A visita da presidente da câmara dos representantes dos Estados Unidos é um gesto de apoio ao país no conflito com o Azerbaijão.

Os combates foram retomados na semana passada; terão morrido cerca de 200 soldados de ambos os lados, na primeira escalada da tensão na região de Nagorno Krabakh desde 2020.

Muitos arménios consideram que a aproximação ao ocidente é a única garantia de segurança.

Este sábado centenas de pessoas manifestaram-se em Erevan, a capital da Arménia, pela saída do país da Organização do Tratado de Segurança Coletiva, CSTO, uma aliança na esfera de influência da Rússia.

Um manifestante diz: "Estamos bastante insatisfeitos com a CSTO, que não pode de modo algum ajudar a Arménia, não trabalha no interesse do seu país membro, e apoia o regime da Turquia, (presidente turco Recep Tayyip) Erdogan e o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev. Por isso, parece-me que não precisamos de tal organização e que precisamos de nos retirar imediatamente dessa organização em nome dos interesses do país, da sua soberania e segurança nacional".

Há uma trégua em vigor há cinco dias, mas Erevan e Baku continuam a trocar acusações.

Nancy Pelosi e a delegação de congressistas norte-americanos que a acompanha deverão encontrar-se com o primeiro-ministro arménio, Nikol Pashinyan, membros da sociedade civil e forças de segurança.