Nancy Pelosi vai deixar liderança da Câmara, mas continuará no Congresso dos EUA

Nancy Pelosi é aplaudida por parlamentares na Câmara ao anunciar seus planos

Por Richard Cowan

WASHINGTON (Reuters) - A presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, primeira mulher a exercer o poderoso cargo, anunciou nesta quinta-feira que irá deixar a liderança do Partido Democrata na Casa, enquanto seus aliados preparam a passagem do bastão para o deputado Hakeem Jeffries.

Pelosi, uma deputada progressista de 82 anos da Califórnia, que serviu duas vezes como presidente da Câmara, disse que continuará no Congresso representando San Francisco, como tem feito há 35 anos. Ela fez o anúncio um dia depois de os republicanos assegurarem uma estreita maioria na Câmara após as eleições de meio de mandato na semana passada.

Jeffries, de Nova York, será o primeiro parlamentar negro a liderar a bancada de um dos grandes partidos no Congresso norte-americano. O atual número dois dos democratas na Câmara, o líder da Maioria Steny Hoyer, apoiou a indicação de Jeffries para a liderança do partido, e também disse que não buscaria um cargo de liderança na próxima legislatura.

Em nota, o presidente Joe Biden chamou Pelosi de "a presidente mais importante da Câmara dos Deputados em nossa história".

Pelosi recebeu vivas de seus colegas democratas enquanto tomava seu lugar na Câmara para fazer o anúncio e durante seu pronunciamento. Chamando o plenário da Câmara de "solo sagrado", Pelosi relembrou sua primeira visita ao Capitólio quando criança, quando seu pai foi empossado como membro da Câmara.

Ela relembrou o trabalho com três presidentes norte-americanos --o republicano George W. Bush, os democratas Barack Obama e Biden-- mas não mencionou o presidente Donald Trump, que passou por dois processos de impeachment sob sua liderança. Mas mencionou o ataque de 6 de janeiro de 2021, ao Capitólio pelos apoiadores do ex-presidente.

"A democracia americana é majestosa, mas é frágil. Muitos de nós aqui testemunhamos nossa fragilidade em primeira mão, tragicamente nesta câmara. E por isso a democracia precisa ser sempre defendida", disse Pelosi.

(Reportagem adicional de Rami Ayyub e Susan Heavey)