Nanda Costa sobre Érica, de ‘Amor de mãe’: ‘Não nasceu pra apanhar. Se levar, devolve’

Naiara Andrade
1 / 2

Nanda-Costa-e-a-mae

Nanda com a mãe, Patrícia: “ Nossa religião sempre foi o amor”

“Eu não estou buscando uma pessoa que me faça feliz, eu já venho feliz de casa”, afirma Érica, personagem de Nanda Costa em “Amor de mãe”. A maquiadora é assim: linda, leve, orgulhosa de sua origem humilde e coerente com os ensinamentos da genitora, Lurdes (Regina Casé). Embora nitidamente encantada por Raul (Murilo Benício), ela resiste às investidas do empresário, deixando claro que não vai rolar nada entre os dois porque ele é casado com Lídia (Malu Galli), a mulher que a contratou. O caráter de Érica e o fora que o ricaço leva dela o instigam ainda mais nessa conquista.

 

— Ela é diferente de todas as mulheres com que Raul já se relacionou. É autêntica, solar, vai iluminar a vida dele nesse momento. E não será como amante! A relação deles será às claras, depois que ele termina o casamento — adianta Nanda, empolgada com a personagem, com a qual se identifica: — Tenho em comum com Érica o amor pela família, os valores... Somos simples na essência. Cada vez eu tenho me voltado mais para as minhas raízes, o lugar de onde vim.

 

Nascida em Paraty, cidade da Costa Verde fluminense, a atriz diz que sua mãe, Patrícia Campos, lhe deu à luz com 16 anos, e por isso contou com a ajuda dos pais para criá-la.

— Meus avós sempre foram muito presentes na minha educação. Nossa religião sempre foi o amor. Só consigo ser quem sou pela criação que tive. Até por estar vivendo o amor com uma mulher — relata Nanda, que assumiu seu relacionamento com a percussionista Lan Lanh em agosto do ano passado: — Eu e Lan demoramos cinco anos para tornar isso público porque a gente não queria interferência, por conta do país em que a gente vive, por causa do preconceito, por medo, por vários motivos. Quando decidimos morar junto, não fazia mais sentido esconder. Agora, estou num momento mais livre, mais madura, mais eu. Por enquanto, vivo o “amor de mãe” como filha, mas pretendo, sim, ser mãe em breve e experimentar o outro lado dessa história.

 

Em cena, nos braços da mãezona Regina Casé, Nanda encontra pouso:

— Ela é uma atriz divina! Faz uma mãe leoa, que abraça e vai à luta. Isso me traz aconchego, a sensação boa de voltar para o colo da minha mãe e da minha avó...

Confrontada por Lídia e perseguida por Estela (Letícia Lima), amante inconformada por perder Raul para uma terceira mulher, Érica vai ter todo o apoio de Lurdes, sem baixar a cabeça.

— Érica não nasceu pra apanhar. Se ela levar, devolve! — sublinha Nanda.