'Não ando com negros', diz mulher que cuspiu em taxista em Belo Horizonte

Taxista foi ofendido, recebeu uma cusparada nos pés e acionou a PM. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Uma mulher foi presa na tarde desta quinta-feira (5) depois de ofender e cuspir em um taxista negro e desacatar um policial militar. Natália Burza Gomes Dupin, de 36 anos, foi autuada em flagrante pela Polícia Civil por injúria racial, desacato e desobediência e resistência.

O taxista Luís Carlos Alves Fernandes, de 51 anos, contou que estava em seu carro no ponto de táxi, na Avenida Álvares Cabral, e notou que uma mulher passava pelo local procurando um carro. Ele teria perguntado se ela precisava de uma corrida e recebeu como resposta um “sim, mas eu não ando com negros”.

Leia também

Segundo Luís, ele a acusou de racismo e disse que isso era crime. “Eu achei um absurdo aquilo e falei que ela estava sendo racista. Ela me respondeu que era racista mesmo e que não suportava negros”, contou o taxista.

O motorista, então, acionou a PM (Polícia Militar) e mesmo assim a mulher continuava discutindo com ele e chegou a cuspir em seu pé. Ela ainda teria dito que não aconteceria nada com ela, segundo Luís. “Ela entrou no carro dela para ir embora é ficou falando que eu podia chamar a polícia que nada ia acontecer com ela”.

Assim que a PM chegou, a mulher teria tentado fugir e desacatado os militares. Ela e o taxista foram encaminhados para a Central de Flagrantes da Polícia Civil. No boletim de ocorrência, há o relato de que um policial não conseguiu que a mulher preenchesse dados, pois ela o teria ofendido por ser negro. 

A mulher também chegou a chamar uma sargento de “sapata” e foi algemada. A defesa da suspeita afirma que só vai comentar o caso no curso do processo.