Não são mais casos isolados: mega-assaltos viram corriqueiros no Brasil

·3 minuto de leitura
Araçatuba foi palco de um mega-assalto esta madrugada - Foto: Reprodução
Araçatuba foi palco de um mega-assalto esta madrugada - Foto: Reprodução
  • Araçatuba foi palco de cenas de violência em mega-assalto na madrugada desta segunda-feira

  • Crimes com grandes operações têm se tornado comuns no Brasil nos últimos meses

  • São Paulo, Minas Gerais e Ceará sofreram com casos recentes

A madrugada de violência e caos que assolou a cidade paulista de Araçatuba tornou-se o mais recente capítulo de uma série de grandes crimes espalhados pelo Brasil nos últimos meses. O foco é quase sempre o mesmo: agências bancárias de municípios do interior.

Foi o que aconteceu nesta segunda-feira em Araçatuba. Uma quadrilha fortemente armada atacou três agências, fez reféns e espalhou explosivos pela cidade. Dois moradores e um criminoso morreram.

Leia também:

Vídeos gravados por cidadãos locais mostraram o pânico trazido pelos criminosos, que surpreenderam a polícia com a força de seu armamento e a quantidade de explosivos utilizados.

O grupo teria utilizado até um drone para monitorar a ação dos policiais. Entradas da cidade foram fechadas para dificultar o acesso de reforço policial ao local.

A megaoperações de criminosos tomaram conta do país desde o ano passado e têm levado pânico para diversas cidades. Relembre alguns deles:

Roubo de mais de R$ 125 milhões em Criciúma

O caso de maior destaque aconteceu em dezembro de 2020, na cidade catarinense de Criciúma. Cerca de 30 criminosos conseguiram roubar mais de R$ 125 milhões de uma agência do Banco do Brasil.

Cerca de 30 bandidos participaram da ação e fugiram a cidade em comboio - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Cerca de 30 bandidos participaram da ação e fugiram a cidade em comboio - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Na ocasião, a quadrilha, fortemente armada, provocou incêndios, bloqueou acessos à cidade, trocou tiros com a polícia e até usou reféns como escudos.

Para retardar as ações de combate da polícia, os suspeitos já haviam preparados bloqueios em diversos pontos da cidade. Segundo a PM, o grupo incendiou um túnel que dá acesso a cidade, atacou o Batalhão da Polícia e ateou fogo em carros.

Na fuga, os criminosos deixaram parte do dinheiro pelo caminho. Moradores da cidade saíram às ruas para recolher parte das cédulas.

Pânico no interior de São Paulo

Como Araçatuba, outra cidade no interior de São Paulo foi palco de um mega-assalto em maio de 2020. Cerca de 40 criminosos levaram pânico aos moradores de Ourinhos em ataque a uma agência do Banco do Brasil.

Na ocasião, a quadrilha, dividida em 10 carros, cercou as bases policiais, atirou contra um posto no centro da cidade e roubou cerca de R$ 50 milhões.

Casos em dias seguidos

Em 7 de abril deste ano, criminosos transformaram Mococa, também no interior de São Paulo, em uma praça de guerra em assalto a três agências bancárias da cidade. Eles locomoveram-se pela cidade em comboio e trocaram tiros com a polícia.

Explosão destruiu agência e danificou imóveis vizinhos no Ceará - Foto: Arquivo Pessoal
Explosão destruiu agência e danificou imóveis vizinhos no Ceará - Foto: Arquivo Pessoal

Apenas um dia depois, uma agência bancária em Jacuí, o sul de Minas Gerais, foi explodida por criminosos em novo assalto. Os criminosos conseguiram efetuar o roubo e chegaram a trocar tiros com a polícia na fuga. O valor levado não foi informado.

Explosão no Ceará

O caso mais recente aconteceu há pouco mais de três meses, no Ceará. Na madrugada de 28 de maio, uma quadrilha explodiu uma agência do Banco do Brasil na cidade de Amontoado e disparou contra a delegacia local.

A ação durou apenas cerca de 15 minutos, mas os disparos impediram que a polícia conseguisse perseguir os criminosos, que fugiram. Imóveis nas proximidades da agência foram danificados pela explosão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos