“Não vejo opositor para Bolsonaro em 2022”, diz ministro Ramos

·1 minuto de leitura
Brazilian President Jair Bolsonaro (R) speaks next to the new Head of the Secretariat of Government of the Presidency Luiz Eduardo Ramos, during his inauguration ceremony at Planalto Palace in Brasilia, on July 04, 2019. - Ramos replaces Carlos Alberto dos Santos Cruz in the Secreariat after some disagreements with of Bolsonaro's sons during his administration. (Photo by EVARISTO SA / AFP)        (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Brazilian President Jair Bolsonaro (R) speaks next to the new Head of the Secretariat of Government of the Presidency Luiz Eduardo Ramos, during his inauguration ceremony at Planalto Palace in Brasilia, on July 04, 2019. - Ramos replaces Carlos Alberto dos Santos Cruz in the Secreariat after some disagreements with of Bolsonaro's sons during his administration. (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Em entrevista ao programa Em Foco, da GloboNews, o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, afirmou que não vê, “no momento”, oposição ao presidente Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2022.

“No momento, não vejo opositor para Jair Messias Bolsonaro. Estamos vendo o DEM fracionado, o PSDB… O artigo dessa semana de uma revista de grande circulação [mostra] a oposição completamente fracionada. Então, vejo cenário muito positivo se assim o presidente manifestar sua vontade de se reeleger, que é um direito democrática dele. Como se diz, acho que é o Luís 16, não tenho certeza, infeliz é o poder que não pode. O presidente tem o poder e tem a possibilidade de se reeleger, se ele quiser, tenho muita esperança que isso aconteça”.

Segundo Ramos, o ex-ministro Sergio Moro não deve ser candidato em 2022 “por não ser da política”.

Na entrevista, Ramos falou também sobre o casamento do governo com o Centrão, contrariando discurso de campanha de Bolsonaro de 2018. Na avaliação do ministro, isso seria resultado do “amadurecimento” do governo em relação à política.

O G1 antecipou trechos da entrevista que vai ao ar no domingo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos