Nasa lança potente telescópio orbital em busca de buracos negros

DESTAQUES EM CIÊNCIA

A Nasa lançou nesta quarta-feira o telescópio de raios-X NuSTAR, capaz de observar universos com uma resolução sem precedentes, segundo imagens retransmitidas pela emissora de televisão da agência espacial americana.

O foguete Pegasus XL, da companhia americana Orbital Science Corporation, que transporta o NuSTAR (sigla em inglês para Matriz de Telescópios Especroscópicos Nucleares), foi lançado às 15h58 GMT (12h58 de Brasília), a 11.900 metros de altitude de um Lockeed L-1011, um grande avião a jato, que decolou uma hora antes da pista de Kwajalein Atoll, nas Ilhas Marshall, no Pacífico.

Em queda livre por cinco segundos, o foguete, em seguida, ligou os seus motores.

O primeiro estágio funcionou por 70 segundos, antes de ser descartado. O segundo assumiu o controle por um minuto e meio e também se desprendeu.

Pouco tempo antes, o cone de proteção do telescópio foi ejetado, expondo-o pela primeira vez ao espaço.

A separação do terceiro estágio do Pegasus deve ocorrer às 16h13 GMT (13h13 de Brasília), 13 minutos após o lançamento do foguete Stargazer, dotado de três turbinas.

Neste momento, o NuSTAR estará em órbita a 600 km da Terra.

O telescópio abrirá então as suas antenas Esolar, logo após a transmissão de seus primeiros sinais, enviados para a equipe em solo através do sistema de satélites da NASA.

O projeto tem como objetivo estudar os fenômenos energéticos, como buracos negros e as explosões de estrelas maciças.

"O NuSTAR abrirá uma janela completamente nova ao universo", disse Fiona Harrison, professora do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) em Pasadena, e principal cientista do NuSTAR.

Será o "primeiro telescópio a focar com raios X de alta potência. Como tal, capturará imagens 10 vezes mais nítidas e 100 vezes mais sensíveis do que qualquer telescópio que tenha operado nesta região do espectro".

A missão aponta a trabalhar em conjunto com outros telescópios no espaço, entre eles o Chandra X-Ray Observatory da Nasa, que observa raios-X de baixa potência, destacou a Nasa.

Com 133 espelhos instalados em cada uma das duas unidades ópticas, o telescópio NuSTAR também utiliza detectores de última geração e um longo mastro que liga as unidades ópticas aos detectores, permitindo uma distância suficiente para um enfoque nítido.

Medindo 10 metros, o mastro, lançado dobrado, se esticará uma semana após o lançamento, alcançando o comprimento de um ônibus escolar.

Em sua primeira fase de dois anos, a missão NuSTAR mapeará certas regiões do céu para recensear as estrelas mais profundas e distantes, assim como buracos negros de diferentes tamanhos. Para isto, examinará as regiões que circundam o centro da Via Láctea.

O novo telescópio também fará observações dos confins do universo para além da Via Láctea, o que permitirá compreender melhor os jatos de partículas emitidos pelas galáxias mais extremas, como Centaurus A, onde se encontram os buracos negros supermaciços.

Os primeiros dados obtidos pelo telescópio são aguardados em 30 dias.

Carregando...

Siga o Yahoo Notícias