NASA lança satélite que irá filmar colisão de espaçonave com asteroide

Missão DART irá colidir aeronave com asteroide para estudar se NASA é capaz de alterar a rota do objeto (Bill Ingalls/NASA via AP)
Missão DART irá colidir aeronave com asteroide para estudar se NASA é capaz de alterar a rota do objeto (Bill Ingalls/NASA via AP)
  • Objetivo é estudar se NASA é capaz de alterar a rota do objeto rochoso;

  • Colisão do DART acontecerá no dia 26 de setembro;

  • NASA irá realizar uma transmissão ao vivo das imagens a partir do LICIACube.

A NASA iniciou as operações do satélite LICIACube (Light Italian Cubesat for Imaging of Asteroids), que tem como objetivo observar o impacto da espaço-nave DART (Double Asteroid Redirection Test) com o asteroide Dimorphos, que está prevista para acontecer no dia 26 de setembro.

O objetivo da missão é testar a capacidade de redirecionamento de asteroides da NASA. No início desta semana a espaçonave que irá colidir com Dimorphos enviou a primeira imagem do asteroide e de seu irmão Didymos, que tem cerca de 800 metros de diâmetro.

Ambos asteroides andam juntos pelo universo, com Dimorphos orbitando ao redor de seu irmão maior. Com o teste, a NASA quer testar sua capacidade de alterar a rota do objeto rochoso mesmo com a influência próxima de outro asteroide.

Agora, com a LICIACube, os astrônomos querem observar o evento. De acordo com a astrônoma Elena Mazzotta Epifan, do Instituto Nacional de Astrofísica da Itália, a câmera será apontada em direção ao sistema de asteroides e também para DART, conseguindo fotografias com distância de 1 quilômetro do local do impacto.

O impacto será transmitido ao vivo pelo canal da NASA TV a partir das 20h15min do dia 26. Segundo a agência espacial norte-americana, deverá haver um aumento de luminosidade quando o choque entre o asteroide e a espaçonave acontecer.

Devido ao impacto, também, a transmissão será cortada logo após o impacto, mas será retornada com a aproximação do LICIACube da região do impacto para maiores análises. As fotos do momento da colisão serão enviadas de volta à Terra para análise dos cientistas e em seguida serão liberadas para o público.