Navalny alerta para "tragédia" na Rússia

Para o opositor russo Alexei Navalny, a decisão de mobilizar 300 mil reservistas vai resultar numa tragédia. A opinião de Navalny, considerada a principal figura da oposição a Vladimir Putin na Rússia, que se mostrou contra a guerra desde o primeiro momento, era uma das mais aguardadas pelo ocidente.

"O principal é que está claro que este crime, esta guerra criminosa e agressiva está a piorar, está a agravar-se. Putin tenta envolver o máximo de pessoas possível. Quer incluir mais centenas de milhares de pessoas neste banho de sangue. Com certeza, isso vai levar a grandes tragédias, a um grande número de perdas. Não vai levar a nada de bom", disse.

Navalny falou numa audiência judicial por teleconferência, a partir da prisão e, apesar de todas as contrariedades, não teve papas na língua.

"Para aumentar o seu poder pessoal, Putin está a atormentar um país vizinho, a matar pessoas nesse país e agora atira para esta trituradora da guerra uma grande quantidade de cidadãos russos que apenas querem viver uma vida normal e tomar conta das famílias. Já era um crime, mas tornou-se um crime de uma escala ainda maior", acrescenta.

Para aumentar o seu poder pessoal, Putin está a atormentar um país vizinho, a matar pessoas nesse país e agora atira para esta trituradora da guerra uma grande quantidade de cidadãos russos que apenas querem viver uma vida normal e tomar conta das famílias.

O opositor, que chegou a mobilizar centenas de milhares de russos em manifestações semanais contra Putin, está a cumprir uma pena de oito anos de prisão, depois de um muito mediatizado regresso à Rússia e de ter sido tratado na Alemanha a uma tentativa de envenenamento pela qual culpa o Kremlin.