Navalny está em grave perigo e deve ser levado ao exterior, afirmam especialistas da ONU

·1 minuto de leitura
O opositor russo Alexei Navalny em um tribunal de Moscou em 24 de junho de 2019

O opositor russo Alexei Navalny, preso e em greve de fome há três semanas, está em "grave perigo" e deveria ser transferido ao exterior, afirmaram nesta quarta-feira quatro especialistas de direitos humanos da com mandato da ONU.

"Acreditamos que a vida do senhor Navalny corre um grave perigo", afirmaram os quatro especialistas independentes, que pediram às autoridades russas garantias de que ele "tenha acesso a seus próprios médicos e que permitam sua transferência para receber tratamento médico urgente no exterior".

"O governo russo é responsável pela vida e a saúde do senhor Navalny enquanto estiver detido", completaram os especialistas, antes de advertir que as condições de detenção do opositor "podem equivaler a tortura ou a tratamento cruel, desumano ou degradante".

O ativista anticorrupção foi detido em janeiro ao retornar à Rússia depois de passar vários meses de convalescença na Alemanha, onde se recuperou de uma tentativa de envenenamento atribuída ao Kremlin. Moscou rejeita as acusações.

Desde 31 de março, o opositor russo está em greve de fome para protestar contra as condições de sua detenção em uma penitenciária que fica 100 quilômetros ao leste de Moscou. Os países ocidentais pedem sua libertação.

nl/apo/tjc/es/fp