Navio encalhado na costa do Maranhão permanece estável e sem vazamento

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Permanece estável e sem qualquer indício de vazamento o navio Stellar Banner, encalhado a 100 quilômetros da costa do Maranhão com cerca de 275 mil toneladas de minério de ferro e 3,8 mil toneladas de óleo, segundo a Agência Brasil.

O incidente ocorreu no dia 24 de fevereiro, após o navio deixar o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, em São Luís, com destino à China. O problema aconteceu nas proximidades da boia nº 1, no canal da Baía de São Marcos.

O Comando da Marinha informou que as equipes, no local, trabalham na estabilização da embarcação, realizaram o travamento das tampas do porão e o tamponamento dos suspiros dos tanques de combustíveis, isolando a entrada de água da chuva e do mar.

O Comando ressaltou que as ações se concentram também em identificar as causas do problema. “As atividades do plano de mergulho, que visam mensurar a extensão dos danos ocorridos na altura dos tanques de lastro na proa do navio, estão em andamento”

De acordo com a Marinha, dois navios atuam no local onde o Stellar Banner está encalhado: hidroceanográfico Garnier Sampaio, que colhe amostras para detectar vazamentos; e o de apoio oceânico Iguatemi, que faz o controle do tráfego marítimo na região.

“A Autoridade Marítima segue em coordenação com órgãos e empresas envolvidas no intuito de solucionar o ocorrido com a brevidade possível, obedecendo normas e procedimentos de segurança, priorizando a mitigação de riscos à poluição e navegação”.

A Marinha do Brasil informou ainda que realizou, nessa terça-feira (3), a 7ª reunião na Capitania dos Portos, com representantes da Vale, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Polícia Federal, Gerência Ambiental do Porto do Itaqui, Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Agentes Marítimos.

MEIO AMBIENTE

O ministro Ricardo Salles fez nesta quarta-feira um sobrevoo na área onde o Stellar Banner está encalhado. O ministro viu de perto a situação em que a embarcação se encontra. Após a vistoria, Salles retornou à cidade de São Luís, onde daria uma entrevista à imprensa para falar sobre o navio e as medidas de prevenção que serão adotadas.