NBA: com Lakers zerados, finalista Heat se fortalece e Orlando Magic 'reseta' a equipe no último dia de trocas

O Globo
·4 minuto de leitura

Se o movimento não foi tão grande no Trade Deadline Day, o último dia para trocas de jogadores entre as equipes na NBA, ao menos o torcedor pôde acompanhar algumas viradas que podem a ser significativas para o futuro da liga durante a tarde desta quinta-feira. O grande destaque da noite foi o "reset" do Orlando Magic, que, após duas temporadas seguidas de ida aos playoffs, trocou três dos seus principais jogadores e agora precisará reconstruir sua equipe para os próximos anos.

No "derretimento" da franquia da Flórida, foi o Chicago Bulls quem saiu com uma das melhores barganhas. Ficou com o pivô montenegrino Nikola Vucevic, um dos principais jogadores da posição na liga. Aos 30 anos, o jogador, que teve a saída ventilada diversas vezes, se despede da cidade de Orlando — da qual guarda muito carinho — depois de nove anos. Em Chicago, fará uma forte dupla de garrafão com Lauri Markkanen. A negociação envolveu ainda a ida de Al-Farouq Aminu aos Bulls, em troca de um pacote generoso com Otto Porter, Wendell Carter Jr. e duas escolhas de primeira rodada, nos Drafts 2021 e 2023.

Quem também deixou Orlando foi Aaron Gordon, conhecido pelas enterradas. O ala-pivô, um dos jogadores favoritos dos torcedores, foi para o Denver Nuggets. Assim como Vucevic, terá um forte companheiro de garrafão, o all-star Nikola Jokic, mas em uma das equipes mais competitivas da NBA. Em troca, o Magic recebeu Gary Harris, RJ Hampton e uma escolha protegida de primeira rodada no Draft de 2025.

A última negociação na Flórida envolveu o armador Evan Fournier, que foi ao Celtics em troca de duas escolhas de segunda rodada. O francês reforçará um perímetro já privilegiado no Boston Celtics. Provavelmente perderá alguns minutos de quadra, dada a concorrência, mas ajudará a solidificar uma equipe competitiva, que busca retornar à final da Conferência Leste.

Embora o material humano recebido nas trocas não seja, neste momento, suficiente para garantir competitividade, as escolhas recebidas pela equipe podem tranquilizar levemente os torcedores. Das cinco, três são de primeira rodada, o que aumenta as chances do Magic agarrar novos talentos que chegarem à liga até 2025. Ao longo desse caminho, os executivos da equipe precisarão fazer uma boa gestão de salários para montar uma espinha dorsal que possa receber bem esses jovens.

No vice-campeão Miami Heat, reforços de impacto

O finalista da última temporada Miami Heat fez alguns dos movimentos mais interessantes nesse fim de janela. Em troca de dois reservas, Avery Bradley e Olynyk, a equipe acertou a chegada do armador Victor Oladipo, do Houston Rockets. O jogador foi um dos envolvidos pela franquia texana na troca de James Harden e deixa a equipe após pouco mais de dois meses. No Heat, encontrará um estilo de jogo que o beneficia e deve brigar por uma vaga de titular.

O ala-pivô Nemanja Belica, ex-Sacramento Kings, é outra contratação promissora para a franquia da Flórida. O sérvio dificilmente será titular de início, mas é uma peça de luxo para se ter no banco. Ele chega em troca de Mo Harkless e Chris Silva.

Lakers tentam Lowry, mas saem zerados

Numa das principais novelas recentes da NBA, o Toronto Raptors chegou perto de trocar o armador e ídolo Kyle Lowry. Segundo a imprensa norte-americana, os canadenses ouviram propostas do Philadelphia 76ers e do Miami Heat pelo armador de 35 anos, em reta final de contrato. A mais concreta delas, porém, teria sido a do campeão Los Angeles Lakers: Dennis Schroder, Montrezl Harrell e Kentavious Caldwell-Pope poderiam ser envolvidos na troca, mas os Raptors recusaram a oferta, de olho no jovem talento Talen Horton-Tucker, visto como intocável pelos Lakers.

Se preferiram não arriscar com Lowry, os Raptors envolveram outro jogador importante do seu elenco em uma troca. Também em reta final de contrato e em um dos melhores momentos da carreira, o cobiçado ala-armador Norman Powell foi ao Portland Trail Blazers, em troca do jovem Gary Trent Jr., uma aposta coerente para a reposição, e Rodney Hood.

Em Los Angeles, uma decisão dos executivos do Los Angeles Clippers irritou torcedores nas redes sociais. Na busca por jogadores de perímetro para reforçar o setor, a franquia trocou o produtivo armador Low Willians e duas escolhas de segunda rodada pelo veterano Rajon Rondo, do Atlanta Hawks. Um preço alto por um veterano que já não está mais nos melhores momentos de sua carreira.

Confira outras contratações relevantes do Trade Deadline:

J.J. Reddick vai ao Dallas Mavericks

George Hill vai ao Philadelphia 76ers

Austin Rivers vai ao Oklahoma City Thunder

Terrance Ferguson vai ao New York Knicks

JaVale McGee vai ao Denver Nuggets

Marqueese Chris vai ao San Antonio Spurs