Rohani afirma que cooperação com Putin não está dirigida contra certos países

Moscou, 28 mar (EFE).- O presidente do Irã, Hassan Rohani, afirmou nesta terça-feira que a cooperação com a Rússia não está dirigida contra terceiros países, ao iniciar sua reunião com o chefe do Kremlin, Vladimir Putin.

"Nosso objetivo final é fortalecer a estabilidade na região e o desenvolvimento de nossas relações. (A cooperação) Não está dirigida contra terceiros países", disse.

Rohani, que chegou ontem a este país, disse que acredita que durante sua estadia na Rússia, "sejam dados novos passos para impulsionar a cooperação" bilateral.

"Já temos uma boa experiência na luta contra o terrorismo e o narcotráfico", acrescentou o líder iraniano, que depositou hoje uma oferenda floral aos pés do túmulo do soldado desconhecido situado junto às muralhas do Kremlin.

Por sua vez, Putin, que viajou para Teerã no final de 2015, destacou que ambos países trabalham de maneira "muito efetiva" tanto "na solução de graves problemas" na esfera internacional, como no plano econômico.

"Nos últimos anos, os resultados em todos esses terrenos são significativos", afirmou e qualificou de "caso excepcional" o aumento dos intercâmbios comerciais russo-iranianos em 70% em 2016 em comparação com o ano anterior.

A reunião entre ambos líderes ocorre em meio a uma gradual piora das relações entre Teerã e Washington desde que Donald Trump chegou à presidência dos EUA.

Segundo fontes oficiais, Rohani abordará com Putin a criação de uma zona de livre-comércio entre Irã e a União Econômica Eurasiática, um bloco econômico regional integrado pela Rússia, Cazaquistão, Quirguistão, Belarus e Armênia.

Além disso, também tratará a expansão do comércio e os investimentos, assim como grandes projetos nos campos da energia, no transporte e nas infraestruturas.

Em nível político, Rússia e Irã são aliados no conflito sírio, já que apoiam o regime de Bashar al-Assad, e além disso Moscou defendeu recentemente os testes com mísseis realizados por Teerã.

Por isso, espera-se que Rohani e Putin troquem posturas sobre a luta contra o jihadismo e as negociações de paz entre o regime e a oposição armada. EFE