Nego do Borel será ouvido pela polícia sobre denúncia de tentativa de enforcamento

Rafael Nascimento de Souza
·3 minuto de leitura
Foto: Divulgação / Polícia Civil / Agência O Globo

Na próxima semana, a Polícia Civil do Rio deverá ouvir a jornalista Swellen Sauer, ex-namorada do cantor Nego do Borel, sobre supostos episódios de agressão dos quais teria sido vítima. Por meio de assessores, ela disse que o artista tentou enforcá-la usando um cabo de carregador de celular, em 2013. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá.

Uma ex-companheira do artista, que não quer ter a identidade revelada, também prestará depoimento. Nesse inquérito da especializada do Rio, Nego é investigado por injúria, lesão corporal e tentativa de feminicídio. Ontem, o cumprimento de um mandado de busca e apreensão em sua casa no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, lhe deu mais uma dor de cabeça. Policiais civis encontraram, dentro de um cofre, R$ 473 mil em notas de cem e 50 reais, amarradas por elásticos em vários maços. Alvo de um inquérito criminal no qual é acusado de ameaçar e agredir a ex-noiva, a atriz e influenciadora digital Duda Reis, o artista terá de prestar depoimento sobre a origem do dinheiro.

O montante estava guardado em uma espécie de sótão, no terceiro andar da mansão, onde fica um escritório. Agentes levaram mais de meia hora para contar as notas, que serão enviadas à Justiça do Estado de São Paulo, que expediu o mandado. Foi na 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da capital paulista que Duda registrou denúncias contra Nego, que nega as acusações. Ele não estava na residência durante as buscas.

Além do dinheiro, investigadores confiscaram aparelhos eletrônicos e o passaporte do cantor. De acordo com o processo aberto na 1ª DDM, Nego ameaçou vazar vídeos íntimos de Duda. No último dia 15, policiais da 42ª DP (Recreio) apreenderam na casa do cantor uma réplica de fuzil, usada para a prática de airsoft.

— Apreendemos tudo que foi determinado. Conseguimos um HD de um laptop, dois telefones e um videogame (que também armazena arquivos de mídia). No momento em que chegamos, não tinha ninguém na casa. Então, fizemos contato com a mãe e o padrasto (de Nego). Eles foram ao imóvel para abrir o cofre, que estava escondido. Eu me espantei ao ver aquela quantia. Mas, no mandado de busca e apreensão, a Justiça já fazia referência a valores, pois Duda Reis tinha informado que havia um local com muito dinheiro — afirmou a delegada Sandra Ornellas, diretora do Departamento Geral de Polícia de Atendimento à Mulher do Estado do Rio.

Nego estava em São Paulo, numa casa que foi alvo de um outro mandado. Lá, investigadores apreenderam celulares e um computador.

— O mandado que cumprimos no Recreio é da Justiça de São Paulo. Mas, com certeza, o fato de termos encontrado tanto dinheiro cria a possibilidade de uma investigação específica (no Rio) sobre a origem do montante — destacou Sandra Ornellas.

Elizabeth Medeiros, advogada de Nego do Borel, disse nada saber sobre a origem do dinheiro encontrado na casa de seu cliente e afirmou que “caberá a ele justificar a quantia à Justiça de São Paulo, o que será feito”. Ela ressaltou que o cantor não foi ouvido no inquérito aberto pela 1ª DDM.

— Infelizmente, não posso passar detalhes sobre o processo, que está sob segredo de Justiça — frisou Elizabeth.

A advogada confirmou que foram recolhidos, na casa de Nego, dispositivos eletrônicos cujo conteúdo será analisado pela polícia. Indagada sobre a suposta ameaça do cantor de vazar imagens íntimas da ex-noiva, Elizabeth não soube informar se ele guarda vídeos ou fotos de Duda.

Em entrevista concedida no fim da tarde de ontem ao programa “Cidade Alerta”, da TV Record, Nego afirmou que as buscas em seus endereços foram “uma doideira” e disse que está “muito triste com tudo isso”. Duda, por meio de sua assessoria, afirmou nada ter a falar “no momento”.