Nego do Borel tomou remédios para dormir e passeou na Praia da Barra antes de ser achado em motel em Vila Isabel

·4 minuto de leitura
nego-do-borel-estupro.jpg

RIO — Quando saiu de casa, no Recreio, na Zona Oeste do Rio, dirigindo sua Mercedes Benz, na manhã de segunda-feira, o cantor Nego do Borel planejava ir de carro até São Paulo, onde se encontraria com amigos. Em depoimento à polícia, ele contou que, "por não estar emocionalmente equilibrado", mudou de ideia e decidiu se isolar em um motel no bairro de Vila Isabel. Durante as cerca de 25 horas em que foi dado como desaparecido, o cantor tomou remédios para dormir e chegou a passear na Praia da Barra, à noite, antes de dormir no motel, onde foi encontrado por volta do meio-dia desta terça-feira.

"O declarante desejava ficar sozinho para pensar sobre o momento delicado que vive em sua vida pessoal e profissional", diz um trecho do depoimento de Nego do Borel. À delegada Ellen Souto, titular da Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), o cantor negou ter desfrutado da companhia de mulheres. As primeiras informações fornecidas pela assessoria de imprensa da Polícia Civil davam conta de que ele teria sido encontrado com duas acompanhantes. Mas a informação foi negada pelo cantor e por sua assessoria de imprensa.

De acordo com o depoimento, Nego do Borel saiu de casa por volta das 11h de segunda-feira. Inicialmente, ele pretendia ir até São Paulo, mas decidiu se isolar em um motel em Vila Isabel. Ele escolheu o estabelecimento por já tê-lo frequentado em ocasiões anteriores e por ser localizado próximo ao Morro do Borel, onde o artista foi criado.

Após se hospedar, ele tomou quatro comprimidos de Dramin para dormir e não ligou mais seu telefone. Sem conseguir fazer contato com o filho, a mãe do artista, Roseli Viana Pereira, registrou seu desaparecimento na 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes).Por volta das 21h, Nego do Borel foi até a Praia da Barra, onde permaneceu até cerca de 23h. De lá, ele pretendia ir para casa, mas acabou voltando ao motel, onde passou a noite.

Durante o depoimento, ele contou que não avisou a mãe porque "não tinha noção da repercussão de seu isolamento". O cantor foi acordado por volta de meio-dia desta terça-feira, pela gerente do motel, que o informou sobre a presença de uma equipe de policiais da DDPA no local. Conduzido à delegacia, ele demonstrou agressividade ao ser abordado por jornalistas. Ao deixar a unidade, no entanto, afirmou que iria "procurar ajuda".

Roseli e o assessor do funkeiro, Anderson Faria, chegaram à DDPA para prestarem esclarecimentos no fim desta manhã. Durante o depoimento da dupla, a polícia recebeu a informação.

Registro de desaparecimento

Roseli fez um registro de desaparecimento do cantor na 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes), na noite desta segunda-feira. Em depoimento na distrital, ela informou que, pela manhã, o artista, chorando, disse que sairia de casa. Depois, ele ligou para um assessor agradecendo por tudo, “como se tivesse se despedindo”.

Ainda de acordo com Roseli, Nego do Borel disse que a amava e pediu que ela não o impedisse de fazer o que ele queria. Ela não conseguia contato com o filho, pois o aparelho estava desligado.

Roseli contou também ter encontrado um bilhete em uma folha de caderno dizendo: “A Fazenda vai me pagar, fez minha mãe chorar…”.

Expulsão de programa

Em setembro, o funkeiro foi expulso do programa “A Fazenda”, da TV Record, depois de ser acusado de estupro de vulnerável contra a modelo Dayana Mello, outra participante do reality show. Ele está sendo alvo de uma investigação pela Polícia Civil de São Paulo pelo crime.

Ao deixar o programa, ele gravou um vídeo dizendo que foi injustiçado: “Eu dormi do lado de uma pessoa, sim, alcoolizada. Eu tava querendo ficar com ela, e ela querendo ficar comigo. Isso não começou ali, já tinha uma história. Vocês podem ver que depois da noite, na piscina, ela fala que quer dormir comigo de novo. Eu não estou entendendo. Vou acabar tirando a minha vida, não estou blefando, estou falando do fundo do meu coração. Estou querendo saber o que fiz para merecer tanto ódio, estou sendo chamado de bandido. Amigos me abandonaram, não quiseram me escutar".

Nas imagens, divulgadas em seu perfil no Instagram, ele ameaçou cometer suicídio: "Mano, eu vou acabar tirando a minha vida. Eu não tô blefando, eu to falando do fundo do meu coração. Eu tô sendo tachado como bandido. Pô, eu nunca roubei ninguém, não mato. Tô querendo saber o que eu fiz pra merecer tanto ódio. Eu to tomando porrada de todo mundo: amigos que me abandonaram, que não querem me escutar, mulheres que não se aproximam de mim. Eu não sou um santo, eu tenho meus problemas, mas eu tô cuidando disso. Mas se eu fosse um bandido, tudo o que eu fui acusado, era pra eu estar preso. Vamos esperar a polícia apurar tudo. Eu não sei mais o que fazer, meu coração tá despedaçado”, disse.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos