Negociações avançam sobre a crise do Golfo com o Catar

·1 minuto de leitura
A Arábia Saudita liderou uma coalizão de países no Golfo, junto com o Egito, em 2017 para cortar relações com o Catar, acusado de ser próximo do Irã e apoiar grupos islamitas radicais

"Progresso" foi feito nas negociações sobre a crise entre o Catar e vários de seus vizinhos no Golfo, e um acordo para encerrá-la será assinado na Arábia Saudita na terça-feira, afirmou um funcionário americano nesta segunda (4).

"Houve progresso na disputa dentro do Conselho de Cooperação do Golfo", disse o funcionário americano sob condição de anonimato, acrescentando que Jared Kushner, genro e assessor do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, responsável pelo caso, estará presente na reunião de terça-feira entre os países da região.

“Quando [o acordo for] assinado em 5 de janeiro, os líderes do Conselho de Cooperação do Golfo e do Egito voltarão a se reunir para assinar um acordo que encerrará o bloqueio e as ações judiciais por parte do Catar”, explicou.

Nesse contexto, a Arábia Saudita já reabriu sua fronteira com o Catar e o espaço aéreo para aeronaves daquele país. O reino saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Bahrein e o Egito cortaram relações diplomáticas com o Catar em junho de 2017, acusando-o de apoiar extremistas islâmicos, conivente com o Irã e alimentando problemas na região.

O rico e ambicioso emirado - com uma das maiores reservas de gás natural do mundo - sempre negou as acusações e denunciou o "bloqueio" que lhe foi imposto.

jca/rle/tly/gma/am