Negociações políticas venezuelanas devem entrar em fase desafiadora, diz representante da oposição

Gerardo Blyde, da oposição venezuelana, participa de entrevista coletiva na Cidade do México

CARACAS (Reuters) - As negociações entre o governo venezuelano e a oposição do país, que foram retomadas no fim de semana, devem entrar em um estágio crucial, disse o líder do grupo da oposição venezuelana para o diálogo nesta segunda-feira, enquanto os adversários políticos buscam encerrar uma crise econômica prolongada.

“Agora é que as negociações ficam difíceis", disse Gerardo Blyde, que lidera a equipe de negociadores da oposição venezuelana, em entrevista a uma rádio local.

As negociações estão em andamento, mas ainda não têm um cronograma definido. As discussões acontecem na Cidade do México e são mediadas pela Noruega.

A oposição tentará se reunir com o governo venezuelano novamente antes do final do ano para discutir direitos humanos, prisioneiros políticos e outros tópicos, incluindo "condições eleitorais", disse Blyde.

Representantes do presidente Nicolás Maduro e da oposição se reuniram na Cidade do México no sábado para retomar as negociações formais após um hiato de mais de um ano.

As partes assinaram um "acordo social", pedindo à ONU para administrar o dinheiro venezuelano atualmente congelado em contas internacionais em um fundo para ser usado para fins de ajuda, totalizando cerca de 3 bilhões de dólares.

O acordo "não é a solução", no entanto, disse Blyde, descrevendo-o como um passo "paliativo".

Os 3 bilhões de dólares não são suficientes para atender às necessidades da Venezuela, disse ele, acrescentando que, uma vez criado o fundo, o plano é distribuir o dinheiro em fases, levando cerca de três anos.

Ainda não há data para a criação do fundo, que será usado para fazer melhorias na rede elétrica, hospitais e escolas do país, onde cerca de metade vive na pobreza.

(Reportagem de Vivian Sequera e Mayela Armas em Caracas)