Negros representam 3 em cada 4 vítimas de homicídio no Brasil, aponta Atlas da Violência

·2 minuto de leitura
Protesto no Rio de Janeiro contra morte de jovem negra que foi alvo de tiro durante operação policial em uma favela

Por Patrícia Vilas Boas

SÃO PAULO (Reuters) - A número de homicídios no Brasil recuou 12% em 2018 em comparação com o ano anterior e se aproximou do patamar registrado em 2013, mas os negros continuaram figurando como as principais vítimas da violência no país, representando 75,7% dos casos, mostrou o Atlas da Violência divulgado nesta terça-feira.

De acordo com o estudo, elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), o número de homicídios em 2018 (57.956) foi o menor em quatro anos e representa uma taxa de 27,8 por 100 mil habitantes, em comparação com taxa de 31,6 no ano anterior, quando foram registrados 65.602 homicídios.

O documento destaca, porém, que um dos fatores que pode ter contribuído para essa redução foi a "piora substancial na qualidade dos dados de mortalidade", citando uma alta de 25,6% no total de mortes violentas sem causa determinada, o que, segundo o relatório, fez com que muitos homicídios permanecessem "ocultos".

O levantamento também mostrou que os negros representaram 75,7% das vítimas de homicídio no país em 2018.

Para a população negra (soma de pretos e pardos) a taxa de homicídios por 100 mil habitantes foi 37,8, enquanto entre os não negros (brancos, amarelos e indígenas) a taxa foi de 13,9, o que significa que os negros têm 2,7 vezes mais chances de serem assassinados do que uma pessoa não negra, de acordo com o estudo.

Além disso, o relatório mostrou que no período de dez anos, entre 2008 e 2018, "as taxas de homicídio apresentaram um aumento de 11,5% para os negros, enquanto para os não negros houve uma diminuição de 12,9%".

A pesquisa também mostrou que pessoas entre 15 e 29 anos foram as principais vítimas da violência no Brasil em 2018, correspondendo a mais da metade do total em todo o país (53,3%), o equivalente a uma taxa de 60,4 homicídios a cada 100 mil jovens.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos