Nelson Piquet pede desculpas para Lewis Hamilton e diz que foi 'mal pensado'

*ARQUIVO* Sao Paulo, SP, BRASIL, 11-11-2018:  Grande Premio Brasil de F1.  Piloto Lewis Hamilton corre para o podium apos  vencer GP Brasil de Formula 1 (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
*ARQUIVO* Sao Paulo, SP, BRASIL, 11-11-2018: Grande Premio Brasil de F1. Piloto Lewis Hamilton corre para o podium apos vencer GP Brasil de Formula 1 (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Nelson Piquet, 69, resolveu se manifestar depois da confusão com Lewis Hamilton. O tricampeão mundial de Fórmula 1 pediu desculpas ao piloto inglês por chamá-lo de "neguinho" em uma entrevista em novembro do ano passado ao comentar um acidente entre Hamilton e seu genro, Max Verstappen. O brasileiro negou que teve a intenção de ofender e ainda citou um equívoco na tradução do termo racista. Piquet alegou que a palavra é usada coloquialmente no Brasil como "cara" ou "pessoa".

"O que eu disse foi mal pensado, e eu não vou me defender por isso, mas eu vou deixar claro que o termo é um daqueles largamente e historicamente usados de forma coloquial no português brasileiro como sinônimo de 'cara' ou 'pessoa' e nunca com intenção de ofender", começou Piquet em seu comunicado oficial divulgado nesta quarta-feira (29).

Ele comentou que jamais usaria qualquer palavra para menosprezar um piloto ou qualquer outra pessoa por causa de cor de pele. Ele continuou condenando as traduções usadas para o termo "neguinho", já que a polêmica atingiu a mídia internacional.

"Me desculpo com todos que foram afetados, incluindo Lewis, que é um grande piloto, mas a tradução em algumas mídias e que agora circula nas redes sociais não é correta. Discriminação não tem espaço na F1 ou na sociedade. Estou feliz em deixar claro meus pensamentos sobre isso", finalizou.

De acordo com a "BBC", após a repercussão negativa do comentário sobre Hamilton, Piquet começou a sofrer as consequências. Segundo informações do jornalista Andrew Benson, Piquet não poderá voltar ao paddock [local que abriga as equipes, veículos, oficiais de prova e convidados durante as corridas] da categoria tão cedo. A Fórmula 1 e a Mercedes publicaram nesta terça-feira (28) comunicados condenando falas racistas e discriminatórias contra o heptacampeão Lewis Hamilton, As organizações não citaram o brasileiro nas notas, mas ressaltaram o esforço do inglês para combater o racismo e aumentar a diversidade no esporte.

Em entrevista ao jornalista Ricardo Oliveira em novembro do ano passado, Piquet criticou Hamilton por não ter tirado o pé logo na primeira volta do GP da Inglaterra. O fato aconteceu em julho do ano passado, quando ele e Verstappen disputavam a liderança da competição. Piquet, que é sogro do holandês, namorado de sua filha Kelly, ainda comparou a batida dos carros com a confusão que tinha acontecido com Ayrton Senna e Alain Prost na largada do Grande Prêmio do Japão em 1990.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos