Neonazista que atropelou multidão em 2017 recebe outra sentença nos EUA

Fields Jr, de 22 anos, recebeu segunda sentença de prisão perpétua nos EUA em 15 de julho de 2019

O neonazista americano que atropelou ativistas, matando uma mulher em 2017, recebeu uma segunda sentença de prisão perpétua nesta segunda-feira (15) por parte de um tribunal do estado de Virgínia.

James Alex Fields Jr., de 22 anos, foi condenado a mais de 419 anos. Ele foi declarado culpado de 10 acusações, incluindo o homicídio doloso, por um júri em dezembro do ano passado.

Em 28 de junho, um tribunal federal ordenou que Fields seja preso sem possibilidade de liberdade condicional, evitando uma possível sentença de morte depois de que aceitar se declarar culpado por 29 acusações de crimes de ódio.

Ao jogar seu carro contra uma multidão, Fields atropelou e matou a assistente jurídica Heather Heyer, de 32 anos, e feriu 29 pessoas que protestavam contra os neonazistas, supremacistas brancos e outros grupos de ódio que marchavam em por Charlottesville, Virgínia, em 12 de agosto de 2017.

Fields havia partido à noite de sua cidade natal de Maumee, Ohio, para apoiar o encontro "Unite the Right" em protesto pela eliminação de uma estátua de Robert E. Lee, o principal general da Confederação do Sul a favor da escravidão durante a Guerra Civil americana (1861-1865).

Vestido com uma camisa pólo branca e calças cáqui, o uniforme dos supremacistas brancos, ele participou de um ato de cantos racistas, antissemitas e homofóbicos, de acordo com as imagens reproduzidas no tribunal em seu julgamento federal.

Meses antes dos protestos, Fields publicou em sua conta do Instagram descrições de um automóvel jogado contra manifestantes, o que fez promotores apontarem sua ação como premeditada.