Neonazistas presos em SC são suspeitos e condenados por outros crimes; veja quais

Neonazistas foram presos em Santa Catarina - Foto: Divulgação/Polícia Civil
Neonazistas foram presos em Santa Catarina - Foto: Divulgação/Polícia Civil
  • Neonazistas foram presos no início da semana em Santa Catarina

  • Um deles foi preso por ataque contra judeus e é acusado de tentar matar um segurança

  • Outro é acusado de participar do duplo homicídio de um casal

A Polícia Civil prendeu na última segunda-feira (14) oito pessoas suspeitas de integrar uma célula nazista interestadual no Sul do Brasil. Entre elas, duas possuíam antecedentes criminais.

De acordo com informações divulgadas pelo g1, um deles foi condenado por tentativa de homicídio contra um grupo judeu, enquanto o outro foi considerado culpado por um duplo homicídio.

Os nomes dos detidos não foram revelados, mas o g1 divulgou que Laureano Vieira Toscani, do Rio Grande do Sul, e João Guilherme Correa, do Paraná, estão no grupo.

Laureano tem quase duas décadas de participação em grupos extremistas e foi condenado a 13 anos de prisão depois de participar de um ataque a um grupo judeu em 2005. Ele estava em regime aberto e usava tornozeleira eletrônica quando foi detido no começo da semana.

Quatro anos mais tarde, o rapaz foi preso por tentativa de homicídio motivada por racismo, após fazer parte de um grupo que esfaqueou um segurança. Este caso ainda não foi julgado.

Já João Guilherme é personal trainer e acusado de participação em um caso de duplo homicídio de um casal em 2009.

Entenda o caso

Ambos fazem parte do grupo de oito pessoas que foram presas pela Polícia Civil sob suspeita de integrar um grupo neonazista com integrantes de três estados: Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Eles foram presos durante uma suposta reunião anual do grupo, durante o feriado prolongado da Proclamação da República em um sítio em São Pedro de Alcântara, cidade da Grande Florianópolis. O município teria sido escolhido por ter abrigado a primeira colônia alemã em Santa Catarina.

Durante as buscas, foram encontradas roupas relacionadas a grupos supremacistas, adesivos, revistas com divulgação das ideias de Adolf Hitler e material digital com referências ao nazismo. A investigação ainda aponta que os suspeitos também integram grupo skinhead internacional.

Os oito suspeitos foram autuados em flagrante pela prática dos crimes de associação criminosa e racismo. Um deles ainda foi autuado por porte ilegal de arma de fogo por ter sido flagrado com munições.