Nesse ritmo, capital paulista vacina todos os adultos até 3 de agosto, diz secretário

·2 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** Nesse ritmo, capital paulista vacina todos os adultos até 3 de agosto, diz secretário. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** Nesse ritmo, capital paulista vacina todos os adultos até 3 de agosto, diz secretário. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura de São Paulo projeta que conseguirá vacinar 100% de sua população adulta, com a primeira dose de algum dos quatro imunizantes usados na cidade, contra a Covid-19, nos próximo 28 dias. O secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, já havia previsto isso para antes do início de setembro mas, nesta quarta-feira (7), indicou a viabilidade para o próximo dia 3.

"Se continuar neste ritmo [de vacinação], em 3 do oito [agosto] a gente vacinou todo mundo com a primeira dose", afirmou o titular da pasta, mostrando um gráfico à reportagem.

Isso ocorre após o governo municipal conseguir antecipar, para esta quarta, a imunização de pessoas com 40 anos, anteriormente prevista para o sábado (10). Aproximadamente 134 mil pessoas com esta faixa etária vivem na cidade, segundo a prefeitura. "Cerca de 60% do público elegível do município de São Paulo já foi vacinado. Seguramente, vamos alcançar 70% da população vacinada com a primeira dose até o dia 15 de julho", afirmou o titular da pasta, por meio de sua assessoria de imprensa.

O plano da prefeitura difere do calendário estadual. Segundo a gestão João Doria (PSDB), as próximas faixas etárias a serem vacinadas são: 35 a 39 anos (15 a 29 de julho), 30 a 34 anos (30 de julho a 15 de agosto), 25 a 29 anos (16 a 31 de agosto), e 18 a 24 anos (1º a 15 de setembro).

O prefeito Ricardo Nunes (MDB) acrescentou a possibilidade de que jovens, entre 12 e 17 anos, ainda possam ser vacinados neste ano. Ele e o secretário municipal da Saúde se reuniram nesta terça-feira (6) com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, com o qual o tema foi debatido. A priorização seria para adolescentes com comorbidades, que contabilizam cerca de 961 mil na cidade, ainda segundo a prefeitura.

"Fomos à Brasília e o ministro afirmou ser favorável [à vacinação de jovens], mas depende do PNI [Programa Nacional de Imunizações]. Isso já está pautado [pelo órgão federal]. Fizemos a sugestão para que jovens com comorbidades sejam priorizados", explicou Nunes, em entrevista coletiva durante o início da vacinação de pessoas de 40 anos contra a Covid-19, nesta quarta-feira (7), em um megaposto na região de Santo Amaro (zona sul).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos