Neste Dia Nacional do Rio, especialistas apontam os benefícios de sorrir

Ana Paula Blower
·3 minuto de leitura
Foto: Pixabay

smiley-1041796

Foto: Pixabay

O poder de uma boa gargalhada é inegável. Ela libera imediatamente hormônios que nos dão uma sensação de bem-estar e relaxamento. Não é à toa que existe a expressão “rir é o melhor remédio”, explicada pelos diversos benefícios do sorriso para a saúde física e mental. No Dia Nacional do Riso, celebrado nesta sexta-feira, dia 6 de novembro, especialistas enumeram as vantagens de manter um dia a dia repleto de boas risadas e dão dicas para manter o hábito. A lista é longa!

A biomédica esteta Adriana Antunes, por exemplo, cita o poder rejuvenescedor do sorriso, que ajuda a exercitar os músculos da face, como um alongamento.

— Com isso, se tem um rejuvenescimento facial maravilhoso — afirma a especialista do Viva Bem Spa Estética, destacando outros pontos positivos do riso: — O sangue também se beneficia. Quando estamos infelizes, nosso Ph sanguíneo fica ácido, enquanto que a felicidade o mantém alcalino (o que faz com que as células consigam guardar nutrientes em quantidades adequadas para que realizem suas funções).

Sem qualquer contraindicação, o riso é gratuito e acessível. Segundo a fonoaudióloga Laila Wajntraub, do Clube da Fala, o sorriso também fortalece o sistema imunológico e aumenta a energia, ajudando na diminuição de dores:

— (O riso) Nos ajuda também a manter o equilíbrio emocional, nos deixando mais relaxados. É uma ferramenta gigante para o aumento da autoestima e da longevidade.

Sorrir então nos ajuda a encarar aquele dia ou aquela semana em que as coisas não andam como gostaríamos, e o estresse teima em imperar. Uma risada ajuda a diminuir a tensão e a intensidade das emoções negativas, como a tristeza e a raiva, diz Laila. De acordo com ela, o riso tem a capacidade de manter os músculos relaxados por até 45 minutos.

— O riso libera serotonina e endorfina, hormônios que são as responsáveis por gerar as sensações de bem-estar, prazer, alegria, além de diminuir o risco de doenças psicossomáticas — observa a fonoaudióloga, que completa: — O corpo humano movimenta cerca de 80 músculos numa risada bem dada.

Rir junto é ainda melhor

As especialistas concordam que o riso é algo espontâneo e que não se pode forçá-lo. Segundo a psicanalista Sandra Araujo Hott, professora e supervisora clínica, uma boa risada só é benéfica se for “uma expressão genuína de contentamento” e deve ser compartilhada com outras pessoas.

Mas é possível criar condições mais propícias para o riso dentro da rotina, especialmente durante a pandemia, que instaurou um clima de tensão e medo. Entre as sugestões das especialistas, destaca-se criar um ambiente social propício ao relaxamento, que tenha a companhia de pessoas que fazem bem. Estar próximo de gente querida, mesmo que por conversas on-line, é uma dica.

— As melhores experiências de risos são aquelas em que rimos junto, com os outros, de alguma situação que nos envolveu em uma pequena alegria — observa a psicanalista Sandra, que assinala: — Rir junto é saudável, mas rir de alguém é mero exercício cruel de poder.

Laila completa:

— Seja seleto nos seus relacionamentos interpessoais, afaste quem tem o costume de falar coisas impertinentes ou que deixam o clima pesado.