Netanyahu encara perda do cargo em votação parlamentar para novo governo

·1 minuto de leitura
Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Jerusalém

Por Jeffrey Heller

JERUSÁLEM (Reuters) - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, encara o fim de seu longo tempo no poder no domingo, quando o Parlamento do país vota para decidir se endossa um governo de diversos partidos que se uniram para retirá-lo do cargo.

"Está acontecendo!", escreveu o opositor Yair Lapid, do partido de centro Yesh Atid, no Twitter nesta terça-feira depois que o presidente do Parlamento anunciou a sessão especial de 13 de junho.

No momento, a coalizão de partidos de esquerda, centro, direita e árabes comanda uma maioria do Knesset de 120 membros, e tomaria posse no mesmo dia em que for aprovada. O nacionalista Naftali Bennett assumiria como premiê.

"O governo de união está a caminho, pelo bem dos cidadãos do Estado de Israel", tuitou Lapid.

Como o tempo de Netanyahu está acabando, membros de sua sigla de direita Likud disseram que ele lutará até o fim para evitar tal aprovação, mas os esforços para persuadir membros da nova coalizão a desertarem não tiveram sucesso até agora.

Se relegado às fileiras da oposição, Netanyahu, de 71 anos, provavelmente insistirá na mensagem de que o novo governo será tolhido por seus integrantes de esquerda se medidas militares forem necessárias contra os inimigos de Israel, e prometeu derrubá-lo rapidamente.

Como é improvável que a coalizão ampla entre em acordo sobre grandes temas, como o conflito israelo-palestino e os assentamentos judeus na Cisjordânia ocupada, seus líderes dizem que se concentrarão sobretudo nas políticas econômica e social.

(Reportagem adicional de Maayan Lubell)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos