Gael García Bernal e Diego Luna apresentam nova produtora

Cidade do México, 5 abr (EFE).- Os atores mexicanos Gael García Bernal e Diego Luna anunciaram nesta quinta-feira a criação da sua nova produtora, La Corriente del Golfo, que justificaram pela necessidade de "contar com uma companhia própria" para a produção audiovisual e para o desenvolvimento de projetos comunitários.

"Nesta companhia faremos os projetos que viemos fazendo e os que empreendermos no futuro, junto com a participação de várias pessoas mais com as quais compartilhamos uma profunda amizade e um forte ímpeto de melhorar o mundo em que vivemos", ressaltou García Bernal em comunicado.

No último dia 26 de março, os atores, que também trabalham como diretores, anunciaram sua saída da produtora cinematográfica Canana Films, que fundaram há 14 anos, dando assim por encerrado "um ciclo muito afortunado de trabalho".

La Corriente del Golfo trabalhará com projetos cinematográficos, teatrais e televisivos, e sua direção estará a cargo de Paula Amor, que foi coordenadora de Difusão e Relações Institucionais no Festival Internacional de Cinema de Morelia e diretora de comunicação do Prêmio Fénix do cinema ibero-americano.

"A grande vantagem de contar histórias como profissão é que constantemente estamos refletindo-nos nelas e traçando as próprias; hoje anunciamos um esforço mais para contribuir para que se contem as histórias que queremos escutar", disse Luna, disposto a deixar-se levar pela "corrente" destes novos relatos.

O primeiro longa-metragem da nova produtora será "Chicuarotes", a filme dirigido por García Bernal e rodado na cidade de San Gregorio Atlapulco, uma das áreas mais afetadas pelo terremoto do último dia 19 de setembro que castigou o centro e o sul do país.

Por outra parte, a produtora também estará por trás da série "Aquí en la Tierra", de García Bernal e Kyzza Terrazas, e que é a única série latino-americana que concorre na primeira edição do Festival Internacional de Séries de Cannes, que acontece entre os dias 4 e 11 de abril. EFE