Netflix ignora concorrência e fecha 2019 com alta de 20% em número de assinantes

Claudio Yuge

O mercado de streaming está a cada ano mais agitado e, com a chegada de gigantes como o Apple TV+, o Disney+, além do vindouro HBO Max, é de se esperar que a liderança da Netflix seja diluída entre os novos serviços. Mas, ao que parece, a concorrência ainda não abalou a base de usuários da dona de Stranger Things: em apresentação recente do balanço do ano passado, o CEO da companhia, Reed Hastings, afirma que a empresa teve alta de 20% em número de assinantes globais, chegando a 167 milhões.

A Netflix adicionou quase 8,8 milhões de consumidores durante o quarto trimestre de 2019, período em que a empresa enfrentou o aumento de disputa no setor, com a estreia do Disney+ e da Apple TV+. Isso inclui 420 mil novos cadastros nos Estados Unidos e 3,13 milhões de membros recentes na Europa, Oriente Médio e Ásia, regiões onde mais cresceu.

Os analistas da firma de consultoria FactSet esperavam adições de 7,9 milhões, enquanto a própria Netflix projetava algo em torno de 7,6 milhões no Q4 2019. Com isso, a companhia faturou US$ 5,5 bilhões em receita nesse período e teve ganhos de US$ 1,30 por ação. Segundo Hastings, o sucesso está atrelado à variedade de títulos, de diferentes países, com “ampla gama de programação original e adoção mundial de streaming de vídeo”.

The Witcher foi uma das séries mais vistas no ano passado (Imagem: Reprodução/Netflix)

Entre as séries, os maiores sucessos no últimos três meses do ano passado foram The Witcher, com 76 milhões de contas assistindo a atração durante suas primeiras quatro semanas; e a terceira temporada de The Crown, que foi vista por mais de 21 milhões de perfis no primeiro mês de lançamento. Já entre os filmes, o mais visto foi Esquadrão 6, de Michael Bay, com audiência de 83 milhões de assinantes.

CEO comenta concorrência e projeta 2020

Hastings reiterou que vê a chegada dos concorrentes como uma forma de "reforçar a tendência de transição do entretenimento linear para o streaming". "Temos um grande avanço no streaming e trabalharemos para desenvolver isso, concentrando-nos na mesma coisa em que nos concentramos nos últimos 22 anos — agradando os assinantes. Acreditamos que, se fizermos isso bem, a Netflix continuará a prosperar. Como exemplo, no quarto trimestre, apesar da grande estreia do Disney+ e do lançamento do Apple TV+, nossa audiência por associação cresceu globalmente e, nos Estados Unidos, ano após ano, de forma consistente, como nos trimestres recentes.”

A Netflix espera adicionar 7 milhões de assinantes durante o primeiro trimestre de 2020, um número 27% menor em relação ao mesmo período do ano passado, quando conquistou 9,6 milhões de usuários. A companhia afirmou que a previsão mais baixa reflete, em parte, "os níveis de rotatividade ligeiramente elevados que estamos vendo nos Estados Unidos”, justamente por conta do fluxo entre outras plataformas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: