Neto de Astor Piazzolla faz homenagem jazzística ao avô

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Pai do tango moderno e um dos músicos mais celebrados do mundo do jazz e do erudito, o argentino Astor Piazzolla (1921-1992) teve o seu centenário lembrado ano passado com eventos musicais no mundo inteiro. E uma das maiores homenagens foi prestada por seu próprio neto, o baterista Daniel Pipi Piazzolla, que sobe esta quarta-feira (20) ao palco do Teatro Sesi, no Centro do Rio, com o seu grupo Escalandrum, para mostrar um pouco de “100”, álbum com recriações de alguns dos clássicos do avô.

Veja fotos: exposição 'Amazônia', de Sebastião Salgado, chega ao Museu do Amanhã

Casa da Ciência: peça interativa convida as crianças a explorarem os cinco sentidos

— O centenário de Piazzolla ganhou muita força, com diversas formações instrumentais tocando a sua música, e tocando diferentes facetas do seu repertório. Partituras foram recuperadas, filmes foram feitos, ficamos muito contentes — revela o argentino Pipi, uma espécie de guardião musical da obra do avô, que chega ao Rio com o Escalandrum (que não se apresentava na cidade desde 2018) em meio a uma extensa turnê brasileira. — Vamos tocar umas cinco ou seis canções de “100”, um tanto de música clássica e algumas composições novas, nossas, que estarão num disco a ser gravado em outubro, com instrumentos elétricos.

Em “100”, o Escalandrum (grupo de formação jazzística, basicamente acústica, com bateria, contrabaixo, piano e sopros) deu sua releitura para temas clássicos de Astor Piazzolla, como “Primavera porteña”, “Soledad” (um dos últimos que o compositor gravou), “La muralla china” (que, em sua versão cantada, tem letra do poeta brasileiro Geraldo Carneiro), “Michelangelo 70” e o grande sucesso do argentino, “Adiós Nonino”. Além disso, o disco incorporou um solo inédito de Astor Piazzolla ao bandoneón (encontrado nos arquivos do estúdio onde gravava) a uma reinterpretação da “Suíte troileana”.

Rio Gastronomia: evento reunirá 24 restaurantes conceituados, entre veteranos e novatos

Em 2022, o disco do Escalandrum foi indicado ao prêmio Gardel de Oro (um dos mais importantes da música na Argentina) de álbum do ano.

— É um disco de jazz e tango que concorre com os de artistas de rock, como Andrés Calamaro. Dia 23 de agosto vamos saber se ganhamos ou não! — festeja o músico.

Onde: Teatro Firjan Sesi. Av. Graça Aranha 1, Centro (2563-4163). Quando: Quarta-feira (20), às 19h. Quanto: R$ 40. Classificação: Livre.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos