Neto critica postura de clubes e CBF na pandemia: 'Falta de compaixão'


A pandemia do novo coronavírus afetou o mundo inteiro e impactou também o mundo do futebol. Com a paralisação dos campeonatos, os clubes e jogadores adotaram diversas medidas para ajudar no combate ao COVID-19. Os atletas buscam ajudar com doações, enquanto alguns clubes cederam estádios e centros de treinamento para a construção de hospitais de campanha.

Apesar das atitudes, o ex-jogador e apresentador Neto criticou a postura dos clubes e, principalmente, da CBF. Em entrevista ao colunista Léo Dias, do UOL, o ídolo do Corinthians e apresentador do programa 'Os Donos da Bola', da Rede Bandeirantes, disse que a entidade e clubes deveriam ajudar mais no combate ao novo coronavírus.

- Agora, não deixei de falar da CBF porque ganhou R$ 1 bilhão ontem e não doou nada. Nós temos 28 federações e ninguém doou nada. Não adianta o Corinthians, o Palmeiras, o São Paulo, o Flamengo doarem os estádios, se você não tem grana para fazer um ambulatório. Como é que você vai ter um enfermeiro, um médico? Não é só doar o espaço - disse Neto.



No Brasil, os jogadores recusaram a proposta de cortar parte do salário em meio a crise econômica causada pela pandemia. Neto usou o Barcelona de exemplo para criticar os atletas brasileiros. Os jogadores do clube catalão aceitaram reduzir o salário para ajudar na luta contra o vírus.

- Acho uma falta de humanismo, de compaixão, de ter o entendimento de que todas as pessoas que estão infectadas, e aqueles que vêm a falecer, torcem para Vasco, Flamengo, Corinthians, Palmeiras ou Fluminense. Falei uma coisa no "Donos da Bola": se todos os clubes da série A pudessem doar um respirador, seriam 20 respiradores, que custam R$ 125 mil cada. Nenhum deu, ninguém fez nada. Sabe quem está fazendo as coisas? São as pessoas. Eu, você, o fulano, ciclano, o pessoal da comunidade. Quem tem grana mesmo, quem tem o poder, ninguém fez porra nenhuma - criticou Neto.