Neto diz ser favorável à obra no Pacaembu: “Tem que arrebentar com o tobogã”

·2 minuto de leitura
Neto aprova a demolição do tobogã / Reprodução
Neto aprova a demolição do tobogã / Reprodução

A demolição do tobogã do Estádio do Pacaembu continua a dar polêmica no meio do futebol. Enquanto vários nomes do esporte se mostraram contra a obra, o apresentador Neto disse ser favorável à revitalização do tradicional estádio paulistano.

No “Os Donos da Bola” desta sexta-feira, 02, o programa mostrou ao vivo o trabalho de demolição da estrutura das arquibancadas. O ex-jogador citou a quantia gasta pelo Corinthians para a construção da sua própria arena para justificar a demolição do tobogã pela empresa privada que ganhou a concessão do espaço.

“Aí o Corinthians fez o estádio com quase 600 milhões para pagar, e não pagou, não pegou o Pacaembu.... A empresa que pegou o Pacaembu já quebrou o Tobogã. Tá certinho, tem que arrebentar com o tobogã, fazer uma revitalização bonita, deixar o estádio bonito. Vai arrebentar com o Morumbi na hora que puder ter shows. Então o Pacaembu, hoje, vai a ser a referência durante 30 anos, diga-se de passagem”, analisou Neto.

O Pacaembu foi cedido para a iniciativa privada durante 35 anos, a partir de janeiro de 2020. No lugar do setor mais popular do estádio, será construído um prédio de cinco andares e quatro subsolos, que abrigará um centro de convenções e estacionamento.

Ao ser informado que receberia uma pedra do tobogã para guardar de recordação, Neto mostrou toda a sua irritação em relação aos “saudosistas”, que são contra a demolição do tobogã.

“Isso (a pedra) vou jogar na cabeça do Bolívia, do Rica Perrone, dos caras saudosistas do Pacaembu, vou jogar esse cimento na cabeça deles. O que vocês estão fazendo é uma coisa incrível para a população de São Paulo, do Brasil e do mundo”, finalizou.

Toda a polêmica em torno da obra começou logo depois que o Pacaembu foi concedido à iniciativa privada. A associação de moradores “Viva Pacaembu” entrou com uma ação judicial para tentar impedir a demolição do setor, mas teve o pedido negado pela Justiça. A obra tem orçamento previsto de 400 milhões de reais e deve ficar pronta dentro de dois anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos