Neto que criou notícia falsa para alertar avó sobre coronavírus: 'caso desrespeite quarentena, ficará seis meses sem receber'

Marcelo Antonio Ferreira
Raphael Fernandes inventou brincandeira para que a avó, Doroti Medeiros, de 80 anos, fique em casa, durante pandemia do coronavírus

RIO - Na tentativa de evitar o contágio do coronavírus, o brasileiro tem adotado algumas estratégias atípicas (como faz em qualquer cenário). Porém, uma chamou a atenção nas redes sociais: o analista financeiro Raphael Fernandes, de 34 anos, disse que a aposentadoria da avó dele, Doroti Ribeiro, de 80 anos, seria bloqueada caso ela saísse de casa. E, segundo ele, a estratégia deu certo.

LEIA MAIS:O GLOBO lança robô que desmente boatos e tira dúvidas sobre o coronavírus

O plano foi dividido em duas partes. Na primeira tentativa, ele próprio passou a informação falsa à avó. Ela se assustou, mas seguiu a rotina de "voltinhas" na rua. Então, Fernandes resolveu sofisticar mais a mentira:

— Liguei para ela: ‘Senhora Doroti, a senhora foi vista circulando por Alcântara”. Ela perguntou da onde eu era, e eu disse que do INSS. “Esse é o último aviso para senhora. Caso desrespeite, a senhora será bloqueada no INSS e vai ficar seis meses sem receber”. Ela: "Não, moço! Pelo amor de Deus, eu tenho conta para pagar". Ela me contou que tinham ligado e perguntou como sabiam que era ela. Disse que era igual a ônibus: é pelo rosto (reconhecimento facial) — explicou o neto.

LEIA MAIS:Idosos ignoram recomendações e vão às feiras; prefeitura determina funcionamento a cada 15 dias

Agora, garente Fernandes, Doroti está respeitando a quarentena, mas não sabe que a informação é falsa.

— Não sai de casa de jeito nenhum. Não vamos falar a verdade, até essa onda passar — diz o neto.

De acordo com Rapahel, apesar da idade, Doroti é ativa — principalmente, no carnaval. Independentemente de qualquer circunstância, seja tiroteio ou chuva, ela raramente deixa de sair de casa, no bairro de Alcântara, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio.

— No aniversário do meu tio, filho dela, ela queria ia à casa dele para dar os parabéns. Pedimos para que ela não saísse, mas ela disse que tinha uma consulta médica. Ligamos para o médico e, de fato, ela tinha. À noite, liguei para dar os parabéns ao meu tio e escutei uma voz ao fundo. Quem estava lá? Ela — contou Fernandes.

Por acompanhar a repercussão da pandemia mundial, ele começou a ficar preocupado com a exposição de Doroti ao vírus, e usou da imaginação para manter a avó em casa.

— Nesses dias, lembrei que ela estava preocupada com a aposentadoria. Ela estava desesperada falando que não teria como pagar as contas. Falei para minha esposa: “Agora já sei. Se eu falasse da aposentadoria, ela ficaria louca. Já está com dívida, imagina se eu falar que o cartão vai bloquear” — diz ele.

Não demorou muito para a técnica que ele usou com Dona Doroti viralizar nas redes. Funcionou tanto que teve de ser desmentida oficialmente. Isso porque foi criada uma imagem com a suposta medida provisória, alertando cidadãos com mais de 60 anos a não saírem na rua; caso contrário, teriam a aposentadoria suspensa por tempo indeterminado.

— Quando fala em aposentadoria, meu filho... A única coisa que eles (idosos) têm medo é de perder os netos e a aposentadoria. Falei até para minha esposa que se o Governo falasse que isso aí (o coronavírus) mata criança, eles teriam medo de matar os netos. Mas como criança é praticamente imune, eles pensam “Ah, já vivi muito. Então está bom se eu morrer” — conta o analista financeiro.

Idosos devem, de fato, tomar mais atenção

Fernandes conta que tem recebido muitas mensagens de pessoas cujos parentes mais velhos também não respeitam a medida de segurança para evitar o contágio no grupo de risco.

— Viralizou tanto que se eles (os avós) saírem e começarem a falar um com o outro, vão acabar acreditando — brinca ele.

Apesar do humor deste caso, os idosos integram um dos públicos mais vulneráveis ao vírus, segundo o Ministério da Saúde e a Organização Mundial. A idade avançada colabora para a imunossenescência, que a é a deterioração natural do sistema imunológico, devido ao processo de envelhecimento.

*Reportagem feita sob coordenação de Luciano Garrido e Leila Youssef