Hiperêmese gravídica: entenda a complicação na gravidez que afetou Tatá Werneck e Kate Middleton

(Foto: AgNews)
(Foto: AgNews)

Na segunda-feira (25) a atriz Tatá Werneck revelou em uma postagem no Instagram que está sofrendo muito com o início da gestação. “Vontade de vomitar os órgãos”, escreveu a atriz, que revelou ter sido diagnosticada com hiperêmese gravídica.

Receba no seu Whatsapp as novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais)

O transtorno, que também afetou a duquesa de Cambridge, Kate Middleton nas gestações dos filhos George, Charlotte e Louis. Os sintomas costumam durar até a 20ª semana de gravidez e vão muito além de um enjôo. A complicação faz com que os enjôos e vômitos sejam tão frequentes que gestante pare de se alimentar e não consiga ter uma rotina normal.

A Dra. Carolina Burgarelli, ginecologista e obstetra da Maternidade Pro Matre Paulista, explica mais sobre o problema.

1. Como é a hiperêmese gravídica?

Diferentemente da êmese gravídica, que são os enjoos e vômitos mais comuns da gestação por conta das mudanças hormonais, a hiperêmere gravídica é menos frequente e caracteriza-se pelo agravamento deste quadro, quando a gestante apresenta excesso de náuseas e vômitos que a impede de se alimentar e transcorrer uma rotina normal. Geralmente acomete a mulher durante os três primeiros meses de gestação, mas pode perdurar até a 20ª semana. Cerca de 2% das gestantes podem desenvolver hiperêmese gravídica.

2. Como é o diagnóstico?

O diagnóstico é feito por meio de avaliação clínica da paciente, quando é possível identificar que as náuseas e os vômitos estão comprometendo o estado materno, ou seja, a gestante não consegue manter uma alimentação mínima sem vomitar e pode apresentar desidratação com alterações clínicas secundárias, como hipotensão (queda da pressão arterial) e taquicardia. A sensação de fraqueza, boca seca e emagrecimento também são sintomas que podem apontar para a complicação.

3. Como é o tratamento?

Quando há perda de peso, alterações clínicas e laboratoriais, é recomendado que a paciente seja internada para hidratação endovenosa e correção dos possíveis distúrbios. Pode ser necessário jejum nas primeiras horas até que a gestante seja reidratada, bem como o uso de medicamentos para o alívio das náuseas e do vômito intermitente. Nesses casos, a alimentação deve ser reintroduzida aos poucos, conforme a aceitação da gestante. O apoio psicológico também é importante para as grávidas que enfrentam o problema.

4. A hiperêmese gravídica pode afetar o desenvolvimento do bebê?

É raro que o problema tenha repercussão no bebê. Porém, casos em que há desnutrição materna grave podem acarretar em baixo peso do bebê para a idade gestacional ou nascimento prematuro.

Assista a seguir: O perigo da dieta à base de sopas e sucos


Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos