Neymar não treina e ouve críticas de presidente do Lyon antes de clássico

Neymar está navegando em uma semana agitada. E há espaço para ainda mais rebuliços até domingo. Nesta sexta-feira, pouco antes de ser confirmado como ausência no treino do Paris Saint-Germain, pelo jornal francês "Le Parisien", o camisa 10 foi alvo de duras críticas de Jean-Michel Aulas, presidente do Lyon, adversário do PSG deste domingo, pela Ligue 1.

- Não sei se Neymar é 100% um trabalhador do PSG ou um empregado em meio tempo do Qatar para a Copa do Mundo - detonou Aulas.

- Não gosto do Nasser (Al-Khelaifi, dono do PSG), luto contra o sistema que ele representa. O PSG quer ganhar a Champions por razões geopolíticas. Tem gerado uma inflação artificial por que os fundos utilizados estão a par do controle do Estado - completou o mandatário.



Sobre a não participação na atividade do clube da capital, o diário afirmou que Neymar esteve presente no Camp des Loges, porém não foi a campo por conta de um tratamento na região lombar - que tem o incomodado há alguns dias.

Neymar, contudo, está confirmado para o duelo de líderes do Campeonato Francês. O embate será realizado neste domingo, às 18h (de Brasília), no Stade des Lumières. Neste momento, o time do técnico Unai Emery conta com 11 de pontos de vantagem para o OL, vice-líder.

- Com exceção de Thiago Motta, todos os nosso jogadores estão em forma e prontos para enfrentarem o Lyon - disse o treinador espanhol.

- O nosso grupo é forte, focado e o vestiário também. Todos estamos caminhando na mesma direção - emendou Emery.

REFERÊNCIA À POLÊMICA RECENTE

A última declaração de Unai Emery, certamente, tem ligação à recente polêmica envolvendo Neymar e Cavani. A questão foi realimentada após o craque brasileiro ouvir vaias na goleada aplicada por 8 a 0 sobre o Dijon, quarta última.

Neymar foi criticado por boa parte da torcida do PSG por ter decidido cobrar uma penalidade quando, mesmo com três gols e duas assistências antes da cobrança, não ter cedido a bola a Cavani, que sofreu o pênalti e, se convertesse a chance, passaria a ser o maior artilheiro do clube de forma isolada - passando, assim, Ibrahimovic - hoje, ambos têm 156 gols.











Neymar e Cavani - PSG

Neymar e Cavani: cabe destacar que o uruguaio não reclamou do brasileiro em momento algum (Foto: Reprodução / Twitter do PSG)

Para Emery, o grupo está unido em prol de títulos. E é bom que esteja mesmo, pois, a começar por este domingo, o PSG caminha para a forte preparação visando os aguardados duelos diante do Real Madrid pelas oitavas de final da Liga dos Campeões - a serem realizados dias 14 de fevereiro (em Madri) e 6 de março (em Paris), respectivamente.

E MAIS: