NFL: Conheça o Tampa Bay Buccaneers, novo time de Tom Brady

Giulia Costa

A saída de Tom Brady do New England Patriots rumo à Flórida foi comunicada nesta segunda-feira pela NFL, mas nem o time ou o quarterback se pronunciaram sobre o assunto ainda. A notícia de que o jogador deixaria o time no qual foi hexacampeão do Super Bowl movimentou o mundo do futebol americano. A decisão de Brady de ir para o time que há muito não figura entre os melhores da liga, fez muitos novos fãs da NFL se perguntarem: por quê o Tampa Bay Buccaneers?

Brady já havia recebido proposta do Los Angeles Chargers, franquia do seu estado natal, mas está encaminhado para fechar com o time que há 13 anos não se classifica para os playoffs. No fim da última temporada, o marido de Gisele Bündchen se tornou free agency pela primeira vez em sua carreira. Jameis Winston, quarterback em Tampa Bay nas últimas cinco temporadas, já vinha sendo questionado pelo número alto de interceptações, e também estava no final de seu vínculo.

O técnico da equipe, Bruce Arians já havia expressado o desejo de contratar Tom Brady, e, três semanas depois, a negociaçao entre o time e o quarterback uniu o útil ao agradável. Agora, a franquia da Flórida espera subir de nível com o a contratação do melhor jogador da NFL em atividade, que terá o contracheque mais alto de sua carreira: 30 milhões de dólares por temporada.

Ao lado de Arians, Brady terá um comando muito diferente do que estava acostumado na parceira vitóriosa com Bill Belichick. O coach do Buccanears gosta de arriscar. Juntamente do treinador de quarterbacks Clyde Christensen, que já trabalhou com gigantes como Peyton Manning, o jogador estará em boas mãos no novo time.

Tudo indica que Tom Brady fará mais falta ao Patriots do que o contrário. Algumas horas após o anúncio, boa parte da torcida de Tampa Bay já garantiu seu season pass para ver o novo ídolo. A chegada do quarterback deve mudar o cenário do Raymond James Stadium, já que o Buccaneers é atualmente o segundo time com a pior média de público da NFL.

Um das instatisfações de Brady em Boston na última temporada era a precariedade no sistema ofensivo. Boas armas de ataque é o que não deve faltar na Flórida, já que o Buccaneers tem Mike Evans e Chris Godwin, considerados por muitos a melhor dupla de recebedores da liga. Juntos, eles somam 2.490 jardas recebidas.

Depois que Rob Gronkowski anunciou sua aposentadoria, no ano passado, uma das maiores duplas de quarterbacks e tight ends foi desfeita no Patriots. Na nova equipe, boas parcerias podem surgir com O.J. Howard e Cameron Brate como alvos fáceis para os passes de Brady.

O time ainda pretende melhorar seu ataque terrestre, e há grandes chance de investirem nisso no Draft, que acontece em abril. O Bucs teve uma média de apenas 2,72 jardas por corrida na última temporada, sendo o 28º na liga.

A mudança de conferência (o Tampa Bay Buccaneers faz parte da NFC) faz com que o jogador de 42 anos não tenha que enfrentar os pesos pesados da AFC o tempo todo. Mesmo que o 49ers e o Saints sejam grandes adversários para a próxima temporada, é um alívio para Brady não ter que encarar todos os anos nomes como Patrick Mahomes e Lamar Jackson, quarterbacks que ainda têm uma longa carreira pela frente.

Com a reformulada na equipe, existe chances deirem para os playoffs, após anos de jejum. Se Brady ajudar o time em uma boa campanha, os Bucs podem jogar o Super Bowl em casa, já que a final da NFL será disputada em Tampa Bay no ano que vem.

Em 2019, Brady se tornou o quarterback mais velho a vencer um Super Bowl, e com os Buccaneers, vai dusputar a sua 21ª temporada na NFL. Depois de muitos títulos, aos 42 anos, ele assume o desafio de revigorar uma franquia.