NFT é vendido por R$ 123 milhões e faz bitcoin ficar para trás

·1 min de leitura
NFT: CryptoPunk é vendido R$ 123 milhões. Foto: Reprodução da internet.
NFT: CryptoPunk é vendido R$ 123 milhões. Foto: Reprodução da internet.
  • O token #5822 da coleção CryptoPunks foi vendido por R$ 123 milhões, mais que o dobro do valor da obra de arte brasileira mais cara já negociada;

  • O valor representa uma valorização de +1.439,954%;

  • O token se valorizou mais que o Bitcoin em menos tempo.

Imagine o preço da obra de arte brasileira mais cara já leiloada, a pintura ‘A Caipirinha’, de Tarsila do Amaral, vendida em 2020 por R$ 57,5 milhões.

Em comparação, agora, em 2022, um único NFT de um dos bonecos da coleção CryptoPunks atingiu o valor recorde de venda de R$ 123 milhões, ou seja, mais que o dobro do quadro de Tarsila.

O número representa um lucro para o então vendedor da arte digital de +1.439,954%. O token #5822 foi vendido pelo primeiro dono por "apenas" R$ 5,448.

Leia também:

Os números grandiosos podem chocar, mas o investidor sagaz pode olhar para a situação com entusiasmo e expectativas. As enormes cifras demonstram que o mercado de NFTs está altamente aquecido, a um passo de criar novos milionários.

Esses números atestam que o CryptoPunk valorizou mais que o Bitcoin em menos tempo. Aqueles que compraram o Bitcoin em 2013, e o seguraram até a posição do preço atual, tiveram a chance de obter uma valorização de +935.550,93.

O número é expressivo, mas ainda menor que o do token em questão. Na época em que apareceram, os Cryptopunks eram vendidos em média por apenas R$ 90.

As informações são Money Times.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos