Nhonhogate: Salles nega ter publicado tweet jocoso sobre Maia

Diego Iraheta
·Editor-Chefe, HuffPost Brasil
·1 minuto de leitura

No circo chamado Brasil, a mágica da vez é um tweet feito pela conta oficial do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, mas que ele jura que não é de sua autoria. “Nhonho” foi o tweet curto e grosso, publicado na noite de quarta-feira (28), em resposta a crítica contundente, feita há 4 dias pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ao ministro:

A resposta de Ricardo Salles a Rodrigo Maia — que ele nega ter sido de autoria dele. (Photo: Reprodução/Twitter)
A resposta de Ricardo Salles a Rodrigo Maia — que ele nega ter sido de autoria dele. (Photo: Reprodução/Twitter)

No início da manhã desta quinta-feira (29), Salles foi ao próprio Twitter para esclarecer que “alguém se utilizou indevidamente” de sua conta para publicar o tal tweet. “Nhonho” é apelido jocoso utilizado por adversários de Maia na Câmara, sobretudo da ala bolsonarista.

Ministro do Meio Ambiente refuta autoria de tweet "Nhonho" para se referir a Rodrigo Maia. (Photo: Reprodução/Twitter)
Ministro do Meio Ambiente refuta autoria de tweet "Nhonho" para se referir a Rodrigo Maia. (Photo: Reprodução/Twitter)

Após esse tweet, a conta de Salles foi deletada no Twitter. O ministro afirmou que “fez procedimento de segurança” para checar se seu perfil foi invadido.

Maia subiu o tom com Salles não só por conta do crescente desmatamento no Brasil, escancarado pelos números recordes da Amazônia e do Pantanal, mas pela crise entre ele e o ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo.

Também em rede social, Salles chamou Ramos de #mariafofoca por atribuir a ele a fonte de uma reportagem do jornal O Globo. O texto diz que Salles “estica a corda” com os militares do governo por se queixar de falta de verba para o Ibama.

Até a publicação deste texto, Maia não se pronunciou sobre o nhonhogate.

LEIA MAIS:

Maia sobre Salles: Não satisfeito em destruir o meio ambiente, resolveu destruir o governo

Ramos nega crise com Salles e diz que uma briga só ocorre quando há duas pessoas

Este artigo apareceu originalmente no HuffPost Brasil e foi atualizado.