Nikolas Ferreira tem conta suspensa no Facebook e fica sem acesso às principais redes sociais

Deputado federal mais votado do país, Nikolas Ferreira (PL-MG) está sem acesso às suas principais redes sociais. Após as suspensões de seus perfis no Twitter e no Instagram, o bolsonarista afirmou em seus canais no Telegram e no YouTube que sua página no Facebook também foi "derrubada". Segundo ele, os três perfis desativados somavam “quase dez milhões de seguidores”. O deputado eleito ainda mantém seu perfil no TikTok ativo, onde soma 3,5 milhões de seguidores.

Contatada pelo GLOBO, a assessoria de imprensa da rede social disse "não ter um comentário para compartilhar" sobre o caso. Nesta quinta-feira, o aliado de Jair Bolsonaro disse em seu canal do Telegram, onde tem 271 mil inscritos, que sente “saudades” de falar com os seguidores em suas redes.

Em vídeo publicado no YouTube na terça-feira, Nikolas disse não saber o motivo das suspensões. — Estou buscando saber porque isso está acontecendo e não consigo — afirmou na publicação em seu canal, com mais de um milhão de inscritos.

Na última sexta-feira, a conta no Twitter do deputado eleito foi suspensa por decisão judicial após ele ter publicado diversas informações falsas sobre suspeitas em relação à apuração de votos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no segundo turno das eleições.

O deputado bolsonarista, assim como outros aliados do presidente Jair Bolsonaro, usaram uma live feita por um argentino, amigo do deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP), em que ele faz acusações infundadas sobre a totalização de votos no Brasil. O consultor Fernando Cerimedo afirma no vídeo que somente o modelo 2020 das urnas eletrônicas seriam auditáveis e teriam sido submetidas a teste, o que é falso. Ele afirma ainda que os modelos antigos registrariam mais votos para Lula (PT) do que para Bolsonaro, o que também é fake news.