'Ninguém esperava o tamanho da catástrofe', diz Kalil, prefeito de BH; número de mortos em MG sobe para 55

Veículos desviam dos estragos causados pelas fortes chuvas que atingem Belo Horizonte e região metropolitana

RIO — Os temporais em Minas Gerais já causaram a morte de 55 pessoas, de acordo com a atualização do boletim da Defesa Civil divulgado na tarde desta quarta-feira. Segundo o órgão, 44.929 pessoas estão desalojadas, 8.259 desabrigadas e 65 feridas. As chuvas fazem vítimas em cidades por todo o estado. Regiões Belo Horizonte voltaram a ficar inundadas na terça-feira após um forte temporal na capital mineira, que causou estragos por toda a cidade.

Em meio aos estragos pós-chuva, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) afirmou em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira que "o que aconteceu ontem em Belo Horizonte inundaria Paris, Boston ou Nova York", pediu paciência da população com o poder público e que, mesmo diante dos estragos causados, "vai ter carnaval, sim".

— O que aconteceu ontem em Belo Horizonte inundaria Paris, Boston ou Nova York. Nenhuma cidade do mundo resiste a 183 milímetros de água em três horas — afirmou o prefeito, que ainda disse que mesmo diante dos estragos causados "vai ter carnaval, sim": — O carnaval não tem dinheiro público. O povo é obrigado só a sofrer? Nós temos que limpar e cuidar desta cidade agora.

O prefeito ainda pede a ajuda do governo federal para a reconstrução da cidade.

— Nós esperamos agora a sensibilidade, que tenho certeza que virá, do governo federal — afirmou Kalil.

— Vamos reconstruir essa cidade. Tenham paciência. Tenham paciência com o Poder Público que estão se esforçando de uma forma que eu não tenho como agradecer.

O presidente Jair Bolsonaro vai viajar para Minas Gerais nesta quinta-feira para sobrevoar as áreas atingidas pelas fortes chuvas no estado. A previsão é que a visita ocorra no período da tarde, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a Secretaria Especial de Comunicação (Secom) da Presidência, "mais detalhes serão informados oportunamente".

— Esperamos que o presidente da República que virá a Belo Horizonte pelo que está sinalizado, deve vir a Belo Horizonte e aí vamos conversar sobre valores. Em uma cidade como Belo Horizonte, não podemos falar em nada menos do que um repasse de 300 ou 400 milhões — disse.

Ainda nesta quarta-feira, o governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional, repassou R$ 7,7 milhões de reais para Belo Horizonte, "para execução de ações de Defesa Civil". Os recursos poderão ser utilizados em até 180 dias. O repasse foi autorizado em uma edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

— Vamos reconstruir essa cidade. Tenham paciência. Tenham paciência com o Poder Público que estão se esforçando de uma forma que eu não tenho como agradecer.