Nissan tem prejuízo de US$ 6,2 bilhões e reduzirá em 20% a capacidade de produção

Sede da Nissan Motor Corporation em Yokohama

A montadora japonesa Nissan anunciou nesta quinta-feira (28) um prejuízo anual de 6,2 bilhões de dólares, o primeiro em mais de uma década, no momento em que enfrenta a queda da demanda e os efeitos da pandemia de coronavírus.

A Nissan, abalada também pelos efeitos colaterais da detenção de seu ex-presidente Carlos Ghosn, informou perdas de 671 bilhões de ienes (6,2 bilhões de dólares) para o ano fiscal concluído em março, comparado com um lucro de 319 bilhões de ienes no ano anterior.

Os resultados são piores que o esperado em um setor duramente afetado pela pandemia, que obrigou o confinamento de metade da humanidade durante semanas.

Além disso, a empresa informou que tem a intenção de reduzir em 20% suas capacidades mundiais de produção até março de 2023 na comparação com o nível de março de 2019. A montadora deve fechar sua fábrica em Barcelona, que tem 3.000 funcionários.