Niterói: casos de Covid-19 quase dobra em duas semanas

Acompanhando a subida de casos positivos da Covid-19 no Brasil e no estado do Rio, a cidade de Niterói também apresenta números em constante alta da doença no mês de novembro. Apenas no período entre os dias 6 e 12 deste mês, 435 notificações foram contabilizadas. Na semana anterior, entre 30 de outubro e 5 de novembro, foram 222 casos. Os dados representam 95% de alta na comparação entre as duas semanas e são ainda mais expressivos quando comparados aos números de outubro. No mês passado, o município chegou a ter apenas 15 casos da doença entre os dias 9 e 15. Os dados são do Painel de Monitoramento da Covid-19 da Secretaria de Estado de Saúde.

Vacinação: Niterói inicia aplicação da terceira dose de reforço

Covid-19: nova dose de reforço é mais eficaz contra variantes

Desde o início da pandemia, a Covid-19 passou a ser de notificação compulsória; ou seja, cada município deve inserir dados relacionados à doença — como número de casos, internações e óbitos — nos sistemas do Ministério da Saúde. Por conta do volume de informações, alguns desses dados divergem mesmo após dois anos do início da pandemia.

De acordo com a Secretaria municipal de Saúde de Niterói, entre os dias 6 e 12 o município registrou 373 casos de Covid-19, com percentual de aumento de 69% em relação à semana anterior. Neste mesmo período, houve aumento na procura por testes, sendo realizado um total de 2.233 testagens, com percentual de 28% de resultados positivos. A taxa de positividade chegou a ficar em 4% em outubro deste ano.

Uma análise ampla e nacional do boletim InfoGripe da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aponta que o crescimento dos casos ocorre, especialmente, na população adulta.

Apesar da alta de confirmações e, consequentemente, do índice da taxa de positividade dos testes para detectar a doença, ainda não foi observada nova pressão no sistema público de saúde por conta da Covid-19. Os últimos dois óbitos causados pelo SARS-CoV-2 no município ocorreram no período de 4 a 10 de setembro. No momento, Niterói tem quatro pacientes adultos internados em enfermaria na rede municipal de saúde; na rede privada, são 23 pacientes internados em leito de enfermaria e 11 em leitos de UTI.

Diante do cenário, pelo menos cinco instituições do estado do Rio voltaram a recomendar o uso das máscaras de proteção. São elas: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), Universidade Federal Fluminense (UFF) e Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ).

O pesquisador da Fiocruz Marcelo Gomes destaca a importância da combinação de vacinação e uso de máscaras como ações de proteção para minimizar o agravamento do quadro.

— A vacina é muito importante para diminuir o risco de agravamento, mas seu papel é um pouco menor na transmissão. Por isso, é fundamental que se volte a usar boas máscaras em situações específicas; ou seja, em transporte público, locais fechados e situações com muita gente em um espaço relativamente pequeno. É vacina no braço e máscara no rosto — afirma ele, que é coordenador do InfoGripe.

Medidas de proteção

O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, também alerta para a importância de manter a vacinação em dia e seguir as já citadas medidas de proteção.

— A imunização contra a Covid-19 é fundamental para a população. Seguimos monitorando o cenário da doença na cidade e reforçamos a necessidade de atenção às medidas sanitárias. Mantenha a vacinação atualizada e, em caso de sintomas, procure uma unidade de saúde para realização do teste — diz o secretário.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que, desde 4 de novembro, atualizou em ofício ao município de Niterói as recomendações e orientações do Ministério da Saúde sobre a Covid-19. Além do uso de máscaras, a nota técnica divulgada no início do mês recomenda a testagem de casos de síndrome gripal, distanciamento físico, higienização das mãos, limpeza e desinfeção de ambientes e isolamento de casos suspeitos e confirmados.

O uso de máscara permanece facultativo a todos, de acordo com a pasta, mas recomendado àqueles que apresentem sintomas gripais, assim como para as pessoas com fatores de risco, em especial imunossuprimidos, idosos, gestantes e pessoas com múltiplas comorbidades e nas unidades hospitalares. No âmbito coletivo, o uso de máscaras deve ser definido pelas autoridades locais, dependendo do cenário epidemiológico de cada município.

A Secretaria municipal de Saúde afirma que continua monitorando o cenário da Covid-19 na cidade e que segue a recomendação da pasta estadual sobre o uso de máscaras.

A vacinação contra a Covid-19 continua à disposição da população. A quinta dose pode ser aplicada em quem já completou um intervalo de dez meses da quarta dose. Crianças entre 6 meses e 2 anos de idade que possuam alguma comorbidade, conforme orientações do Ministério da Saúde e da Secretaria do Estado de Saúde do Rio, também podem se vacinar.